EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

A MAGIA DO CARNAVAL ATRAVÉS DA ARTE DE WILL PASSOS E PAULINHO CABELEIREIRO


Texto : Preta Jóia / Fotos: Wancley Natucci  

Eu posso dizer que acompanhei o início desse sonho, quando Will e Paulinho faziam parte dos destaques da Sociedade Rosas de Ouro.  Eles vivem sonhando e nos transportando para dentro  desse sonho, a cada ano, a cada Carnaval, mas isso é real.  

A cada enredo o resultado do trabalho de Will Passos, e Paulinho Cabeleireiro fica ainda mais glorioso, e para mim isso é sonhar, parece que eles fazem o impossível se tornar possível, nos apresentando fantasias cada vez mais ricas e mais lindas uma que outras.

Segue abaixo fotos que deixarão vocês de boca aberta como eu.

Não vou falar mais nada e nem preciso, espero que os olhos de vocês brilhem como o meu aqui no blog, vendo as fotos e depois ao vivo na passarela, ou na telinha da TV porque eles são destaques nos carros das Escolas de Samba Império de Casa Verde em São Paulo (ambos) , segunda escola a desfilar hoje (sexta) e esse ano Will Passos,
também enriquecerá o desfile da Viradouro, domingo no Rio de Janeiro .

Só me resta desejar um lindo desfile e sorte para ambos nesse Carnaval !!!

Agradecimentos : Will Passos e Paulinho Cabeleireiro pela gentileza de atenderem as minhas solicitações.

Vale lembrar que ambos são moradores da Cidade de São Vicente, e excelentes cabeleireiros, tem um salão no centro da cidade onde moram ( Studio Hair Paulinho Cabeleireiro & Equipe), se é da baixada recomendo.


IMPÉRIO DA CASA VERDE 
Will Passos
Carro Abre Alas
O Senhor da Sétima Arte 
Forração & Pavão : Atelie: Naldo Cavalcanti
















IMPÉRIO DA CASA VERDE 
Paulinho Cabeleireiro
O Mágico de Oz 
Forração & Pavão : Atelie: Naldo Cavalcanti
















VIRADOURO 
   Will Passos :
 Personagem Lumière
 A Bela e a Fera






























PRÊMIO SABOTAGE - SESSÃO SOLENE DE ENTREGA 22 DE MARÇO CONFIRME PRESENÇA





Pode reservar a data que a entrega do Prêmio Sabotage 2019 já tem dia e hora para acontecer: 22 de março, às 19h. A premiação realizada pela Câmara Municipal de São Paulo existe desde 2005 e foi criada por sugestão da Soninha, em homenagem ao rapper Sabotage e ao movimento hip hop, um dos mais importantes no processo de inclusão social, musical e cultural da cidade de São Paulo.
Nesta edição foram no total 77 inscritos, sendo oito na categoria Break, seis na categoria DJ, nove na categoria Graffiti e 54 na categoria MC. Confirme sua presença no evento no Facebook (Prêmio Sabotage), convide os amigos e prestigie o hip hop paulistano.


SOBRE O PRÊMIO
O Prêmio foi criado em homenagem ao rapper Sabotage. Nascido em São Paulo, no dia 3 de abril de 1973, o cantor, compositor e ator encontrou no rap a saída do mundo do crime. Sabotage foi um protagonista no cenário cultural e musical, tendo recebido vários prêmios de rap. 
A Câmara Municipal de São Paulo, considerando a importância do Movimento Hip Hop no processo de inclusão social, musical e cultural e a sua inserção junto aos jovens na cidade de São Paulo, instituiu, por meio da Resolução N° 02/2008, o Prêmio Sabotage que visa a reconhecer publicamente o trabalho de artistas que se destacam no cenário do Hip Hop no Município.


Banda Monallizza - Um Tributo ao Mestre do Soul



Fonte : Sampa Ingressos 

Desde sua formação, em 2000, a banda se apresenta periodicamente por todo o estado de São Paulo, inicialmente tocando soul, funk e rhythm and blues com o nome de Monallizza. 

No entanto, há 5 anos se especializaram em reproduzir a obra do maestro Tim Maia, o rei do soul brasileiro.

Com um repertório passando por todas as fases de Tim, desde os clássicos dançantes, românticas, funk, até a fase racional em que o cantor criou dois discos com sons memoráveis.

 Por onde passa, a Banda Monallizza vem contagiando o público com o carisma e a alegria dessas canções, o bom humor nas apresentações e a constante interação com o público, característica do grupo que ajuda a criar momentos mágicos e únicos. Experimente a magia do swing brasileiro em um show contagiante.


Local: Teatro UMC (Oeste)
Data: Dia 5 de Março (terça). às 20h

Na bilheteria

R$ 50,00

No Sampa ingressos

R$ 25,00

VELHA GUARDA DA MANGUEIRA NO SESC POMPEIA


Fonte : Comunicação SESC 


Velha Guarda da Mangueira vem a São Paulo para duas apresentações no Sesc Pompeia, dias 2 e 3 de março, interpretando seu álbum mais recente, Velha Guarda Musical da Mangueira Canta Geraldo Pereira.

O trabalho conta com participações de Zeca Pagodinho, Maria Bethânia, Nelson Sargento, Alcione e Leci Brandão, e celebra o centenário do compositor mangueirense Geraldo Pereira, além  dos 90 anos da tradicional escola verde e rosa.

Temas de Cartola, Nelson Cavaquinho, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Herivelto Martins, Hermínio Belo de Carvalho e alguns dos sambas de enredo antológicos da Estação Primeira de Mangueira completam o repertório.

Classificação: 12 anos

03/03/2019 - 18:00R$ 6,00 - credencial plena
R$ 10,00 – meia
R$ 20,00 - inteira
02/03/2019 - 21:00
R$ 6,00 - credencial plena
R$ 10,00 - meiaR$ 20,00 - inteira


VENDA SOB CONSULTA. VALORES SUJEITOS A ALTERAÇÃO.

RASHID E BANDA NESSA SEXTA NO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO



Acompanhado de banda, o rapper traz o show de sua #CriseTour para divulgar o Crise, lançado em janeiro de 2018. Nas apresentações deste ano, Rashid explora seu repertório com uma setlist que inclui músicas de seus dois discos de estúdio, EPs e mixtapes, e traz, entre outras, composições como Gratidão, Bilhete 2.0, Ruaterapia, além dos singles mais recentes – Interior e Não é desenho.
sexta, às 21h – 90min – livre – Sala Adoniran Barbosa
R$25,00 – a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento, das 13h às 21h30, no site Ingresso Rápido
*Consulte a liberação dos ingressos no site Ingresso Rápido ou pelo telefone (11) 4000-1139

Liniker e os Caramelows no SESC Belenzinho

Foto Leila Penteado

Fonte : Comunicação SESC 
Liniker e os Caramelows apresentam o último show da turnê Remonta, com repertório do álbum homônimo, produzido por Marcio Arantes. O disco foi
 lançado em 2016 e trouxe músicas do EP Cru (2015) com uma nova roupagem, além de quatro músicas inéditas. Com esse álbum a banda passou por 75 cidades brasileiras e 19 países.
O grupo, que surgiu em 2015 em Araraquara (SP), é formado por Liniker 
Barros e pelos músicos Rafael Barone (baixo), Péricles Zuanon (bateria),
William Zaharanski (guitarra), Renata Éssis (backing vocal), Marja Lenski 
(percussão), Éder Araújo (sax, flauta) e Fernando TRZ (teclado).

Duração: 01h30

Local: Teatro

01/03 (sexta) : 21 hrs
02/03 (sábado) : 18 hrs
03/03 (domingo) : 18 hrs

Delegação brasileira participa da Jornada Científica África Brasil, em Burkina Faso






A delegação brasileira, composta por intelectuais negro e religiosos de matriz africanas, coordenada pelo Prof. Dr. Babalawô Ivanir dos Santos, participou nessa quarta - dia 27, da Journee Scientifique Afrique-Bresil organizada pelo Comité International Joseph Ki-Zerbp pour L’Afrique et as Diaspora (CIJKAD) - que tem como Presidente Moumini Tiegnan e Vice-Precidente o Professor Lazare Ki-Zerbo. Em em parceria com o Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP), do Rio de Janeiro, o evento aconteceu no Autorité du LIPTAKO-GOURMA, em Ouagadoudou, capital de Burkina Faso.

Contou a participação representantes religiosos, intelectuais africanos e ativistas de movimentos sociais de Ouagadougou. Assim, com o tema Religion, Identités, Sécurité et Démocratie a Jornada fomentou debates sobre intolerâncias religiosa, poesia afro-brasileira, educação antirracismo e segurança nacional. 
Ivanir dos Santos de Mamadou Jerbo 



Para Ivanir dos Santos, que participou como convidado de honra da mesa de abertura, palestrando sobre Intolerância Religiosa no Brasil Contemporâneo. 
"A jornada é uma resposta aos novos desafios posto diante da forte onda de racismo, intolerância e xenofobia que vem se acirrando nas relações globais". segundo Ivanir, que ainda completou "Foi construída sob várias mãos negras africanas e afro-brasileiras, é o ponto de encontro das duas pontas do atlântico. Pontas essas que se unem contra todas as formas de discriminação, faltam de equidade, respeito e tolerância".

O Babalawô ainda pontua que "O intuito do evento é, também, fortalecer projetos afro-diaspóricos que possam evidenciar não só as identidades negras que durante séculos foram silenciadas". 
Saindo da linha das análises sobre os desafios frentes a intolerâncias religiosa e o racismo, a Jornada também contou com brevíssimas análises sobre o pensamento de Joseph Ki-Zerbo e a Lei 10.639 no Brasil, apresentada pela doutoranda em História Comparada da UFRJ - Mestra Mariana Gino. Que vem desenvolvendo pesquisa de doutorado sobre o pensamento intelectual e politico de Joseph Ki-Zerbo, onde pontuou que "A Lei 10.639 é a base do pensamento de Joseph Ki-Zerbo,  na medida em que a lei fomenta uma possibilidade de reescrita da historias abro-brasileira a partir das experiências dos sujeitos negro e não, apenas, sobre a ótica do colonizador".
Além dos palestrantes, presentes Jacques D'Adesky, Elé Semog, Thomas Quedraogo, Iman Alidou Ilboudo, entre outros que abrilhantaram o ciclo de palestras, ressaltando a qualidade dos argumentos e ponderações. Destaque especial com a presença de Mamaduo Zerbo, amigo de Joseph Ki-Zerbo, que foi dar uma conferida no colóquio. 

TONI GARRIDO FOI ESCOLHIDO PARA GRAVAR NOVA VERSÃO DA MÚSICA PALCO DE GILBERTO GIL



Fonte: Estadão (Metrópole) 

Pensada para as pistas, acaba de ser lançada versão para a música "Palco" com arranjo pop e influências da black music dos anos 70 e 80. O cantor Toni Garrido foi o escolhido para interpretar o sucesso de Gilberto Gil, de 1981. Gravado no Estúdio Rastro, o single está disponível em todas as plataformas digitais. Foi incluído, por exemplo, na playlist Festa Brasileira da Apple Music. Faz parte do repertório dos shows de Toni com Danny Dee, que estão em turnê pelo Brasil e o mundo, onde já se apresentaram em países como Japão e Estados Unidos.

"A letra é festiva, e eu sentia falta de uma versão para contagiar as pessoas nas festas e shows", explica Danny Dee, que é produtor dessa versão. Ela foi elaborada com o saxofonista Rodrigo Munhoz durante alguns meses. Danny é especialista em house music, com músicas lançadas por grandes selos internacionais, como o londrino Ministry of Sound. Além disso, é diretor musical dos shows do Toni Garrido. O single foi mixado e masterizado pelo engenheiro de som Enrico De Paoli, vencedor de dois Grammys: com Marcus Miller (2002) e Djavan (2011).
Rodrigo Munhoz, que durante sua carreira já acompanhou Cidade Negra, Sandra de Sá, Fernanda Abreu, Preta Gil, Pato Banton, entre outros, faz shows acompanhado por DJs com repertório eletrônico. A ilustração da capa é assinada pelo artista Marcelo Ment - um dos nomes mais atuantes da arte urbana brasileira na atualidade - e, além de palco, traz palavras da letra como alma, alegria, festa, tambor, fogo, em cores como laranja, verde e amarelo. Os shows de Toni Garrido com Danny Dee e os do saxofonista Rodrigo Munhoz podem ser contratados com a Rastropop, empresa especializada em atrações musicais para festas e shows.



terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

NEGUIN B-BOY BRASILEIRO É CAMPEÃO MUNDIAL DE HIP HOP COM SUA EQUIPE RED BULL ALL STAR



Fonte : Site Red Bull / Fotos ( Facebook/ Neguim)


NEGUIN : "SOU UM MENSAGEIRO DA ARTE "

 Battle Pro de Paris,  campeonato mundial de hip hop disputado no último final de semana, teve como campeões a equipe Red Bull All Stars, equipe onde Neguin (dançarino brasileiro) reuniu os melhores B-Boys da atualidade. 



Fabiano Carvalho Lopes, chamado de Neguin é  paranaense,  começou a praticar capoeira aos quatro anos, e foi na sua adolescência que descobriu o Hip Hop e criou seu próprio jeito de dançar misturando capoeira e breaking,





Decidiu deixar o país porque aqui não teve apoio,  diz que no Brasil tudo é muito difícil, que teve obstáculos mas correu atrás de seus sonhos.
Neguin conta que Pelézinho na cidade de Berlim, chegou à semifinal
e abriu as portas para o breaking brasileiro.



O Campeonato

A disputa começou entre equipes brasileiras,  Red Bull All Star enfrentou  uma dura  batalha com Time Brasil e venceram. Neguin
disse que o Brasil está entre os melhores do mundo.
Na final Neguim e seus companheiros foram ovacionados por milhares de pessoas presentes em La Seine Musicale Arena,
O título foi adicionado a pelo menos outros 10 erguidos em campeonatos pelo Brasil e em competições pela América do Sul, Canadá e Estados Unidos.

Como tudo começou
Depois de surgirem em Nova Iorque no final da década de 1970, a cultura dos b-boys e o hip-hop se espalharam rapidamente pelo mundo todo. As equipes de breaking podiam ser encontradas em todos os lugares, da Europa à África, passando pela Austrália e pela Ásia, onde realizavam batalhas memoráveis. Mas em 2004, o primeiro Red Bull BC One chegou com uma proposta diferente. Realizada em Biel, na Suíça, a edição firmou a competição como a primeira a trazer batalhas individuais entre b-boys. O primeiro vencedor do Red Bull BC One foi o norte-americano Omar.


Como funciona
Até as finais mundiais de 2016, os 16 finalistas do Red Bull BC One eram escolhidos em etapas regionais realizadas na América do Norte, Europa Oriental, Europa Ocidental, América Latina, Ásia-Pacífico, Oriente Médio e África. Agora, os finalistas mundiais são escolhidos em acampamentos especiais da Red Bull BC One, realizados em vários locais ao redor do mundo. A final mundial é um torneio mata-mata: os b-boys dançam em frente a um painel formado por cinco jurados e têm suas habilidades avaliadas.


Evento itinerante
Desde 2004, aconteceram 13 finais mundias do Red Bull BC One World. O evento já passou pelas cidades de Biel (Suiça, 2004), Berlim (Alemanha, 2005), São Paulo (Brasil, 2006), Joanesburgo (África do Sul, 2007), Paris (França, 2008 e 2014), Nova Iorque (EUA, 2009), Tóquio (Japão, 2010), Moscou (Rússia, 2011), Rio de Janeiro (Brasil, 2012), Seul (Coréia do Sul, 2013), Roma (Itália, 2015) e Nagoya (Japão, 2016). Foram 12 cidades diferentes em nove países diferentes – números que sobem para 13 cidades diferentes em 10 países diferentes com a final mundial de 2017 acontecendo em Amsterdã, na Holanda.



MANDÍBULA EXPLORA OS VÁRIOS USOS DA BOCA EM PERFORMANCE

Coreografia criada por Josefa Pereira e Patrícia Bergantin terá duas apresentações na Área de Convivência do Sesc Pompeia

Cena de Mandíbula | Crédito da foto: Micaela Wernicke
 
Nos dias 28 de fevereiro e 1º de março, as coreógrafas Josefa Pereira e Patrícia Bergantin apresentam a performance de dança Mandíbula, na Área de Convivência do Sesc Pompeia. No espetáculo as artistas exploram a boca enquanto dispositivo mecânico e sensível, desviando sua produção de líquidos e de encaixe mandibular enquanto recurso visual e corporal.
O trabalho estreou em 2018, no MAM. Para a temporada que começa agora no Sesc Pompeia, as artistas se preparam para dialogar não só com o público como também com a arquitetura do espaço.
Este não é o primeiro trabalho em parceria das de Josefa e Patrícia. As artistas criaram juntas Mandíbula, Égua e Contágio; além de colaborar em projetos de diversos artistas em comum como Monstra, de Elisabete Finger e Manuela Eichner. Esta trajetória é base para Tectônica, plataforma que se dedica à prática e ao estudo das forças, processos e movimentos em dança. Além de propiciar a pesquisa e investigação de ambas, também cartografa uma constelação afetiva entre artistas interessados e interessantes, dinamizando as camadas éticas, estéticas e políticas que compõem seu fazer artístico. “Além de propiciar nossa própria pesquisa e investigação, também cartografamos uma constelação afetiva entre artistas interessados e interessantes, dinamizando as camadas éticas, estéticas e políticas que compõem nosso fazer artístico”, conta Patrícia.

Mais sobre as artistas
Josefa Pereira é performer e coreógrafa. Vive e trabalha entre São Paulo e Lisboa. Dedica-se à criação autoral desde a graduação em Comunicação das Artes do Corpo (PUC-SP), em torno de interesses como coletividade, presença e gestualidade tendo o corpo campo de tensionamento estético e político. Sua trajetória é marcada pela colaboração com diversos artistas, em cias de dança e nos coletivos Núcleo de Garagem e Ghawazee Coletivo de Ação, traçando uma das bases de seu interesse, a produção e atuação artística através de diferentes modelos de comunidade. É performer e criadora em "Monstra" com direção de Elisabete Finger e Manuela Eichner, e atualmente se dedica à estreia e circulação de seu solo "Hidebehind"(2018) e "Mandíbula" que dá andamento à parceria com a artista Patrícia Bergantin com quem criou "Égua" (2017) e a residência "Contágio".O encontro entre as duas lança agora as bases para a "Tectônica" plataforma para a articulação e fortalecimento para seus diversos interesses artísticos.




Patrícia Bergantin é artista da dança. Bailarina e coreógrafa, tem buscado articular parcerias onde a reciprocidade seja uma ética a ser frequentada tanto na vida quanto na arte. Formada em Letras na USP, trabalha a dança enquanto campo de discurso, tendo trazido em seus últimos trabalhos a questão do feminino enquanto emergência. É articuladora da Tectônica, junto com Josefa Pereira, plataforma que propiciou a criação de "Mandíbula", "Égua", e "Contágio", e que se dedica a cartografar uma constelação afetiva entre artistas interessados e interessantes, dinamizando as camadas éticas, estéticas e políticas que compõem seu fazer artístico. É performer de "Monstra" dirigida por Elisabete Finger e Manuela Eichner e também dá aulas partilhando sua prática “Corpo Antena”, onde as sensações do corpo são matéria de autoconhecimento e ponto de partida para sintonizar um viver junto menos assujeitado e mais autônomo.

SERVIÇO:
Mandíbula
(performance dança)
com Josefa Pereira e Patrícia Bergantin
Dia 28 de fevereiro e 1º de março de 2019, quinta e sexta-feira, às 20h
Área de Convivência | Grátis | Classificação indicativa: Livre

Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.
Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações, acesse o portal
Para credenciamento, encaminhe pedidos para imprensa@pompeia.sescsp.org.br

Informações para a imprensa:
Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia:
Diego Lemos e Guilherme Barreto
Estagiária: Mari Carvalho
Coordenador de comunicação: Igor Cruz
Telefone: (11) 3871-7720 / 7776