EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Estreia | Terror e Miséria no Terceiro Milênio | Sesc Bom Retiro | 28/06

Inspirada em peça de Bertolt Brecht, Núcleo Bartolomeu de Depoimentos estreia Terror e Miséria no Terceiro Milênio – Improvisando Utopias no Sesc Bom Retiro



Com direção de Claudia Schapira, o espetáculo coloca em cena um ensaio de uma peça e para tanto constrói um jogo cênico guiado por nove atores e dois DJs.
A dramaturgia parte de texto Terror e Miséria no Terceiro Reich, do artista alemão Bertolt Brecht, que discute o quadro social e político violento dos anos que antecederam a segunda guerra mundial

Fonte :Canal Aberto / Fotos : Sérgio Silva 

Com o objetivo de processar os tempos de agora, em que novos valores humanos provocam uma reação conservadora no Brasil e no mundo, o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos parte de uma leitura do dramaturgo Bertolt Brecht sobre a ascensão do fascismo/nazismo para criação da peça Terror e Miséria no Terceiro Milênio – Improvisando Utopias, que estreia dia 28 de junho, sexta-feira, 21h, no teatro do Sesc Bom Retiro.

No seu diário de trabalho, Brecht se refere ao texto Terror e Miséria no Terceiro Reich como um compêndio de gestos sociais capaz de exemplificar o contexto que se formou durante os anos que precederam a segunda guerra mundial e que resultaram na ascensão do fascismo/nazismo.

Inspirados por este compêndio, o grupo e a diretora Claudia Schapira buscam processar os tempos de agora: “Os novos valores humanos - que exigem mudanças profundas e estruturais - provocaram uma reação nacionalista, classista, seletiva, homofóbica e racista, que se agarra aos escombros de um mundo colonizado, branco e  hegemônico”, explica Claudia.



Para o processo artístico, promoveu-se um encontro entre os artistas do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e artistas parceiros especialmente convidados, para que juntos criassem um espetáculo capaz de evidenciar os atritos dessa reunião, dessa diversidade. “Juntamos pessoas brancas e negras, trouxemos o conflito pra dentro da cena. Essa situação está muito acirrada nestes tempos, tudo tem que ser revisto à luz da construção de uma nova humanidade, de uma real disparidade e dos mecanismos perversos que foram criados para o soerguimento de um mundo segregado e cheio de privilégios”, diz Claudia.

Seguindo a estrutura episódica do texto original – e somando a isso a realidade do Brasil atual -, foi construída uma dramaturgia fragmentada, entremeada de comentários, em que os atores em um ensaio de uma peça constroem e desconstroem imagens e narrativas, que se desmantelam diariamente.

Depois de Antígona Recortada (2013) - último espetáculo onde todos os componentes do grupo participaram juntos, que radicalizou a linguagem deste coletivo de teatro hip-hop e que lhes conferiu o Prêmio Governador do Estado - o grupo sentiu a necessidade do encontro com outros artistas, cada um com sua linguagem e com a sua visão de mundo, para a criação dessa nova obra.




SINOPSE

Nove atores e dois DJs ensaiam como se estivessem confinados em um teatro que lhes serve como uma espécie de fortaleza. Sentados em dois bancos, refletem e criam a partir Terror e Miséria no Terceiro Reich, de Bertolt Brecht, um disparador somado aos à realidade dos tempos atuais brasileiros. 

Assim, recortes e samples começam a surgir propostos pelos artistas na hora de improvisar. A partir dessas formulações, os embates acontecem e cada um vai assumindo uma visão de mundo, deixando evidente o que os une e o que os separa.  Como também esboçam utopias capazes de destituir o presente, e lançar para o futuro imagens de construção de um mundo mais igualitário e justo.

SOBRE O NÚCLEO BARTOLOMEU DE DEPOIMENTOS

O Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, formado por Claudia Schapira, Eugênio Lima, Luaa Gabanini e Roberta Estrela D'Alva, nasceu no ano de 2000 e tem como pesquisa de linguagem o diálogo entre a cultura hip-hop, com a contundência da autorrepresentação como discurso artístico, e o teatro épico e seus recursos: o caráter narrativo, apoiado por uma dramaturgia que se configura depoimento do processo histórico; como instrumento que elucida uma concepção do mundo, e coloca o ator-narrador em face de si mesmo como objeto de pesquisa; como homem mutável; em processo, fruto do raciocínio, da reflexão.

Em 2000, estreia Bartolomeu, O Que Será que Nele Deu, o primeiro espetáculo do Núcleo, inspirado na obra de Herman Melville Bartleby, O Escriturário, e dirigido por Georgette Fadel. Acordei Que Sonhava, uma livre adaptação de A Vida É Sonho, de Calderón de la Barca, e segundo espetáculo da companhia, estreia em 2002, dirigido por Claudia Schapira.

Entre os anos de 2002 e 2003, o Núcleo desenvolve o projeto Urgência nas Ruas – obras-manifesto, intervenções pelas ruas de São Paulo. Esse projeto foi o primeiro a ser contemplados pela Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, fundamental e estruturante da pesquisa e obra do Núcleo.



Em 2006 estreia Frátria Amada Brasil - Pequeno Compêndio de Lendas Urbanas, espetáculo inspirado na Odisseia de Homero. Uma pequena odisseia, brasileira e nossa, fruto da vivência nas ruas e das personagens que nelas habitam, autores anônimos da história velada deste país.

O projeto 5 x 4 – Particularidades Coletivas, que teve sua estreia em junho de 2008, foi o resultado de um aprofundamento de elementos específicos da pesquisa da linguagem do teatro hip-hop, e gerou cinco espetáculos: Encontros Notáveis3x3 – Três DJs em busca do vinil perdidoManifesto de Passagem – 12 Passos em Direção à LuzVai te Catar! e Cindi Hip-Hop – Pequena Ópera Rap.

Em 2009, o Núcleo iniciou o projeto Pajelança de Kuarup no Congá, que depois de quase três anos de intensa pesquisa resulta no espetáculo Orfeu Mestiço, uma Hip-Hópera Brasileira, fazendo parte do trabalho ininterrupto deste coletivo por consolidar uma linguagem: o Teatro Hip-Hop.

Em 2013 estreia Antígona Recortada; Em 2014 estreia BadeRna, último espetáculo realizado na sede do grupo, que foi demolida pela Ink Incorporadora e todos seus associados, e se torna uma espécie de manifesto cênico, que reflete o cunho político que as ações do grupo assumem a partir da perda do seu "território cultural”.




Em 2015 no Teatro de Arena Eugênio Kusnet comemorando os 15 anos de grupo, realiza a Ocupação Arena Urbana - De onde viemos, para onde voltamos, que contou com a temporada de três obras inéditas: Memórias Impressas(instalação cênico-dramática sobre violência feminina), Olhos Serrados (um solo performativo que transita entre a palavra e o movimento) e 1, 2, 3 - Quando acaba começa tudo outra vez, marcando a incursão do grupo no universo do teatro infantil.

Em maio de 2016, estreia Cassandra – Na calada da voz, uma performance teatral, com uma plataforma que se modifica a cada apresentação, trazendo à luz da cena a violência infringida através dos tempos ao discurso feminino.

Além dos espetáculos, o Núcleo criou dois projetos permanentes que acontecem todos os meses: em 2008, ZAP! Zona Autônoma da Palavra, o primeiro poetry slam (campeonato de poesia) brasileiro, e em 2009, DCC – Dramaturgia Concisa e Contemporânea, um espaço dedicado à criação e debate sobre produção de textos cênicos curtos e inéditos.

FICHA TÉCNICA
Direção: Claudia Schapira
Dramaturgia: Claudia Schapira em colaboração com Lucienne Guedes e elenco
Inserções de poemas: Jairo pereira e Roberta Estrela D’Alva
Direção Musical: Eugênio Lima, Roberta Estrela D’Alva e Dani Nega
Direção de Movimento e Coreografias
: Luaa Gabanini
Assistência de Direção: Maria Eugenia Portolano
Atores mcs: Fernanda D’Umbra, Georgette Fadel, Jairo Pereira, Luaa Gabanini, Lucienne Guedes, Nilcéia Vicente, Roberta Estrela D’Alva, Sérgio Siviero e Vinícius Meloni.
Atores DJs: Dani Nega e Eugênio Lima
Vídeo-intervenção: Bianca Turner
Cenário: Bianca Turner e Claudia Schapira
Figurino: Claudia Schapira
Figurinista assistente: Isabela Lourenço
Kempô e Treinamento de Luta: Ciro Godói
Danças Urbanas: Flip Couto
Preparação Vocal: Andrea Drigo
Técnicas de spoken word: Roberta Estrela D’Alva
Iluminação: Carol Autran
Engenharia de Som: Eugênio Lima e Viviane Barbosa
Costureira: Cleusa Amaro da Silva Barbosa
Cenotécnico: Wanderley Wagner da Silva
Design gráfico:  Murilo Thaveira
Estagiárias: Isa Coser, Junaída Mendes, Maitê Arouca
Direção de Produção: Mariza Dantas
Produção Executiva: Victória Martinez, Jessica Rodrigues
e Núcleo Bartolomeu de Depoimentos
SERVIÇO
Terror e Miséria no Terceiro Milênio – Improvisando Utopias
De 28 de junho até 28 de julho
Sextas e sábados, às 21h e domingos, às 18h
Local: Sesc Bom Retiro (Rua Alameda Nothmann, nº 185).
Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 6 (credencial plena).
Capacidade: 250 lugares.
Duração: 90 minutos. Classificação: 14 anos.

Assessoria de Imprensa
Canal Aberto
Márcia Marques | Daniele Valério
Contatos: (11) 2914 0770 | 9 9126 0425 | 9 8435 6614

De 29 de Junho à 28 de Julho - Encontro Paulista de Teatro de Grupo - 10 espetáculos diferentes na sede do grupo Refinaria Teatral

A Refinaria Teatral promove o Encontro Paulista de Teatro de Grupo em sua sede, na Zona Norte da Cidade.
A partir do dia 29 de Junho, aos sábados às 20h e domingos às 18h, a Zona Norte da cidade receberá 10 espetáculos diferentes de importantes grupos paulistanos de teatro. Trata-se do Encontro Paulista de Teatro de Grupo, uma iniciativa do grupo Refinaria Teatral que faz parte do projeto “Teatro: uma Pátria Habitável”, contemplado pela 32ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo. As apresentações vão até o dia 28 de julho, e cada dia se apresenta um espetáculo diferente. Os ingressos são oferecidos no sistema “pague quanto puder”, como forma de incentivar e democratizar o acesso aos trabalhos.
Participam com espetáculos os grupos: A Próxima Cia, Cia Antropofágica, Cia Paideia de Teatro, Cia Sabre de Luz Teatro, Cia Teatro da Investigação, Cia Teatro Documentário, Companhia do Feijão, Grupo Folias , Grupo Redimunho e República Ativa de Teatro.
O evento é uma oportunidade única de proporcionar ao público da região uma variedade de estéticas e linguagens que são produzidas em nossa cidade. Essa riqueza artística é uma das principais consequências de políticas públicas voltadas às artes – no caso, a Lei de Fomento ao Teatro, que é uma conquista da classe artística junto ao poder público municipal e que proporciona a realização de projetos de pesquisa continuada de teatro de grupo. Esse encontro é uma maneira de aproximar o público da Zona Norte dos trabalhos desenvolvidos por grupos que engradecem o cenário artístico e que são beneficiados por esse tipo de incentivo.
Na programação na sede do grupo Refinaria Teatral:
·           Dia 29/06, Sábado, às 20H – Cia Teatro Documentário – Espetáculo: “O Tempo e o Cão”
·           Dia 30/06, Domingo, às 18H – Companhia do Feijão – Espetáculo “DATCHAU”
·           Dia 06/07, Sábado, às 20H – Cia Antropofágica – Espetáculo “Kabaré Antropofágico”
·           Dia 07/07, Domingo, às 18H – Grupo Redimunho – Espetáculo “Nome Sujo”
·           Dia 13/07, Sábado, às 20H – República Ativa de Teatro – Espetáculo “O Inimigo”
·           Dia 14/07, Domingo, às 18H – Grupo Folias – Espetáculo “Babilônia 2”
·           Dia 20/07, Sábado, às 20H – Cia Sabre de Luz Teatro – Espetáculo “5 Semanas em um Balão”
·           Dia 21/07, Domingo, às 18H – A Próxima Cia – Espetáculo “Quarança”
·           Dia 27/08, Sábado, às 20H – Cia Teatro da Investigação – Espetáculo “A Casa de Farinha de Gonzagão”
·           Dia 28/07, Domingo, às 18H – Cia Paideia de Teatro – “O Coração de um Boxeador”
Além da apresentação de um espetáculo de seu repertório, cada grupo também participará de um bate-papo aberto com os integrantes da Refinaria Teatral.
Sinopse
A sede da Refinaria Teatral receberá 10 espetáculos de repertório de grupos de teatro da cidade. Espetáculos adultos e infantis compõe esse Encontro, que proporciona uma diversidade estética e temática do que é produzido pelos artistas paulistanos.
Detalhes dos espetáculos:
Espetáculo: “O Tempo e o Cão” – Cia Teatro Documentário
Dia 29/06, sábado, às 20hs
Essa encenação começa com a morte de um cão. Não, essa encenação começa com uma morte.” A encenação do documentário cênico O Tempo e o Cão trabalha com o mecanismo da memória manifestado de maneira concreta em cena. Para isso resgatamos e teatralizamos quatro narrativas que versam sobre a convivência dos diferentes habitantes da cidade: as pessoas e os animais. Elas abordam muito além de episódios corriqueiros, mas sim, se constituem em pequenas memórias que revelam afetos e desafetos da própria relação deles (homens e mulheres) com a cidade de São Paulo. “Ninguém deveria morrer.” Dia 29/06, Sábado, às 20H.
Ficha Técnica:
Encenação: Marcelo Soler
Dramaturgia: Cia. Teatro Documentário
Tratamento Textual: Danilo Monteiro
Atores-documentaristas: Carolina Angrisani, Júlia Moretti, Gustavo Curado, Márcio Rossi
Mediacão Teatral: Aline Ferraz e Marcelo Soler
Produção: Alessandro Fritzen
Iluminação: Luana Gouveia
Sonoplastia: Cia. Teatro Documentário
Captação de som: Daney Carvalho, Leandro Canhete e Jonas Golfeto
Tratamento de áudio e vídeo: Alan Paes
Cenografia: Marcelo Soler
Figurino: Daíse Neves
Pedagogia do Ator: Luah Guimarãez e Isabel Setti
Alicerces-Fundamentação Teórica: Maria Rita Kehl, Ana Cláudia Marques, Cândida Almeida, Gabriela Leirias, Rodrigo Lage e Tiago Porto


Espetáculo “DaTchau – Rumo à Estação GrandeAvenida” – Companhia do Feijão
Dia 30/06, domingo, às 18hs
Uma pessoa (de classe média) tenta escrever uma narrativa que dê conta dos tempos sombrios que está vivendo. Nesta tentativa ela sonha que um dia acorda indignada com o estado das coisas. E, no sonho, esta indignação a leva para a rua – para protestar. No início sozinha, depois coletivamente, em harmonia com outros indignados, toma um trem de metrô cujo destino é a estação GrandeAvenida, para onde está marcada uma grande manifestação. Durante a viagem as diferenças do coletivo indignado assumem o protagonismo, atiçam raivas e ódios e se transformam em conflitos oníricos. O sonho se transforma em pesadelo. E o destino final desta viagem será o do encarceramento deste coletivo num campo de trabalhos forçados. Dia 30/06, Domingo, às 18H
Ficha Técnica
Texto e Direção: Pedro Pires
Em cena: Fernanda Haucke, Fernanda Rapisarda, Guto Togniazzolo, Marcos Coin, Vera Lamy e Zernesto Pessoa
Direção Musical: Marcos Coin
Cenografia: Pedro Pires
Figurinos: Guto Togniazzolo e Arieli Marcondes
Luz: Guilherme Bonfanti
Vídeos: Diogo Noventa
Projeções: Bruna Lessa e Bruno Carneiro
Operação de luz: Pedro Pires
Operação de vídeo: Pedrenrique
Fotos e Registro em vídeo: Cacá Bernardes
Produção: Companhia do Feijão
Classificação etária indicativa: 12 anos
Duração: 70 minutos

Espetáculo “Kabaré Antropofágico” – Cia Antropofágica
Dia 06/07, sábado, às 20hs
O Kabaré Antropofágico, é um cabaré inspirado na tradição dos espetáculos de formas híbridas e do teatro de variedades, voltado para a pesquisa musical da Antropofágica. Nasce da intersecção de dois campos de interesse do grupo: a música no contexto das formas de agitação e propaganda e a potencialidade do uso da canção na música de cena. Um banquete cênico-musical que reúne música, poesia e cenas do repertório da Antropofágica, organizado em eixos que degustam episódios da história do Brasil desde a Colônia até acontecimentos contemporâneos. Dia 06/07, Sábado, às 20H
Ficha Técnica
Direção e Roteiro: Thiago Reis Vasconcelos
Elenco: Alessandra Queiroz, Danilo Santos, Deborah Hathner, Fabi Ribeiro, Flávia Ulhôa, Giovanna Perasso, Jaques Cardeal, Martha Guijarro, Mauro Britto, Rafael Frederico, Rafael Graciola, Renata Adrianna, Ruth Melchior, Suelen Moreira
Direção Musical: Lucas Vasconcelos
Músicos: Bruno Miotto, Bruno Mota, Lucas Vasconcelos
Figurino: Flávia Ulhôa, Ruth Melchior e Thiago Reis Vasconcelos
Iluminação: Renata Adrianna e Rafael Frederico
Operação de Luz: Matheus Houck
Mais informações: https://www.antropofagica.com/

Espetáculo “Nome Sujo” – Grupo Redimunho
Dia 07/07, domingo, às 18hs
Trata-se de um fragmento dramatúrgico criado para a pesquisa do Coletivo Redimunho de 2014, onde a imagem de uma mulher que passa a vida limpando tudo que lhe mandam em função do seu trabalho, sua invisibilidade é cortada quando ela resolve num dia qualquer, revirar as questões que afligem seu cotidiano e gritar ao mundo seu pensamento e sua revolta. Dia 07/07, Domingo, às 18H
Ficha Técnica
Dramaturgia e Direção: Rudifran Pompeu
Atuação: Patrícia Borin
Mais Informações: http://gruporedimunho.com.br/

Espetáculo “O Inimigo” – República Ativa de Teatro
Dia 13/07, Sábado, às 20hs
Em meio a uma guerra, em algum lugar que poderia ser um deserto, há dois buracos. Nos buracos, dois soldados. Eles são inimigos. Sem poderem sair do lugar, eles são obrigados a conviver com o perigo, que está ao lado. Mas será que ele é tão perigoso assim? Será que tudo aquilo que contaram é verdade? De maneira lúdica e divertida, esses soldados vão se surpreender com o que está do outro lado do front. Dia 13/07, Sábado, às 20H. Classificação: Livre.
Ficha Técnica
Baseado na obra de Davide Cali
Dramaturgia: Leandro Ivo, Val Pires e Vivi Gonçalves
Direção: Val Pires
Elenco: Leandro Ivo e Thiago Ubaldo
Trilha Sonora Original: André Grynwask
Iluminação: Rodrigo Palmieri
Cenário, Figurinos e Adereços: Helô Cardoso e Leandro Ivo
Assistente de Cenário, Figurinos e Adereços: Gabriela Fuziyama
Costureira: Rosimeire Santos Souza
Fotografia: Fernanda Oliveira
Produção: Fulano’s Produções Artísticas
Linguagem: Espetáculo Infanto-Juvenil
Duração: 47 minutos
Classificação Indicativa: Livre

Espetáculo “Babilônia 2” – Grupo Folias
Dia 14/07, domingo, às 18hs
“Babilônia 2” tem como ponto de partida “A Ópera dos três Vinténs” e de chegada “O cão e o mendigo”, ambas de Brecht. Dito assim parece uma longa saga, mas na verdade é uma singela homenagem aos nossos vizinhos, os sem papel, os sem casa, os sem nada que habitam os baixos do viaduto e a superfície dura do asfalto. Dia 14/07, Domingo, às 18H
Ficha Técnica:
Direção: Marco Antonio Rodrigues
Elenco: Alex Rocha, Clarissa Moser, Lucas Vedovoto, Lui Seixas, Marcella Vicentini, Marcellus Beghelle, Renan Ferreira e Vivian Salva.
Responsável Técnica: Giovanna Kelly
Treinamento: Ésio Magalhães
Maquiagem: Lua Tiomi e Tatiana Polistchuk
Produção: Tetembua Dandara
Produção Executiva: Lucas Vedovoto
Fotos e vídeo: Bruta Flor Filmes (Bruna Lessa e Cacá Bernardes)
Design Gráfico: Renan Marcondes
Realização: Grupo Folias - Projeto "Folias Brechtianas" contemplado pela 31ª Edição do Programa de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo
Mais informações: https://www.galpaodofolias.com/

Espetáculo “5 Semanas em um Balão” – Cia Sabre de Luz Teatro
Dia 20/07, Sábado, às 20hs
Drº Fergusson, um cientista aventureiro, seu amigo Drº Kennedy e seu fiel criado Joe, partem em uma aventura pela África, a bordo de um balão. Durante o percurso, eles aprendem que nem todo tesouro do mundo é mais valioso do que uma grande aventura! Dia 20/07, Sábado, às 20H
Ficha Técnica
Criação: Sabre de Luz Teatro
Direção: Joyce Salomão 
Texto: Joyce Salomão (Da Obra de Júlio Verne)
Elenco: Cristiano Salomão (Drº Fergusson), Nino Belucci (Drº Kennedy) e Joyce Salomão (Joe)
Concepção Artística: Sabre de Luz Teatro
Criação de Luz: Ronny Vieira
Operador de Luz e som: Júlio Avanci
Trilha Sonora: Gustavo Barcamor
Cenografia e Figurinos: Sabre de Luz Teatro
Adereços: Nino Belucci

Espetáculo “Quarança” – A Próxima Cia
Dia 21/07, domingo, às 18hs
Fábula dramatúrgica que trança a história de Rosa Ararim, moradora de um lugarejo conhecido como Alereda, onde o sol é insistente e a terra esturricada. Desenhada em caminhos estreitos, numa trama de vida e morte, Alereda está ocupada por um exército de jagunços, liderados pelo temido Sô Déo, e tem suas mulheres violentadas, mortas e, uma a uma, quaradas ao sol, veladas sem lua, extintas carbonizando o chão. Neste contexto, a guerreira Rosa emerge no enfrentamento contra todo este estado falocêntrico de opressão. Dia 21/07, Domingo, às 18H
Ficha técnica:
Dramaturgia, encenação e direção – Luciana Lyra
Atrizes-criadoras - Juliana Oliveira, Paula Praia e Lívia Lisbôa 

Espetáculo “A Casa de Farinha de Gonzagão” – Cia Teatro da Investigação
Dia 27/08, sábado, às 20hs
Teatro-baile baseado na obra de Luiz Gonzaga, dividida em três partes sem intervalo. 1ª Parte - BAILE - Saudando o Sertão. O elenco recebe o público com bebida, comida e dança. 2ª Parte – Peça teatral baseada na obra de Luiz Gonzaga. Os personagens das músicas de Luiz Gonzaga são transportados para uma casa de farinha, a cozinha do sertão, e lá, em sua intimidade criativa, tem a chance de contarem seus “causos”, suas vidas. 3ª Parte – BAILE - “O forró de Mané Víto” Arrasta pé ao vivo com o repertório de Luiz Gonzaga.  Dia 27/08, Sábado, às 20H
Ficha Técnica:
Dramaturgia e Direção: Edu Brisa
Atuadores: Carol Guimaris, Cris Camilo, Edu Brisa, Geovane Fermac, Harry De Castro
Músicos: Trio Marrom.
Cenário: Edu Brisa e Geovane Fermac
Figurinos: Ana Cristina Ramos
Direção Musical: Carol Guimaris
Preparação Musical: Fernando Alabê
Preparação Corporal e Vocal: Carlos Simioni (Lume Teatro)
Treinamento de Mascaras: Cida Almeida
Fotos e Registro: Gustavo Guimarães
Realização: CTI – Cia Teatro da Investigação
Cooperativa Paulista De Teatro
Classificação: Livre
Duração: 65 Minutos
Mais informações: https://www.teatrobaile.com/

“O Coração de um Boxeador” – Cia Paideia de Teatro
Dia 28/07, domingo, às 18hs
O quarto de um asilo é um ringue de boxe quando o jovem Ioiô tem de cumprir pena por roubar uma mobilete, pintando o cômodo onde vive o velho Leo, boxeador famoso que foi esquecido. Com diálogos vigorosos, o texto mostra a vontade dos dois personagens em se ajudarem na realização de seus sonhos. Em 1998, Lutz Hübner recebeu na Alemanha o prêmio de melhor autor, com este texto. O Coração de um Boxeador já foi traduzido para mais de 12 idiomas e é encenado em todo o mundo. A Paideia, com sua segunda montagem para este texto, vem apresentando a peça desde 1999. Dia 28/07, Domingo, às 18H
Ficha Técnica:
Texto: Lutz Hübner
Tradução: Aglaia Pusch e Marina Violakis
Direção: Amauri Falseti 
Cenografia e Figurinos: Lee Dawkins e Aby Cohen
Iluminação: Lee Dawkins 
Operador de Luz: Valdênio José 
Elenco: Flávio Porto e Rogério Modesto
Classificação indicativa: 10 anos

Sobre a Refinaria Teatral
O grupo Refinaria Teatral, núcleo da Cooperativa Paulista de Teatro, é um teatro de treinamento que pesquisa e desenvolve técnicas extraídas da arte marcial Karatê-do. Essa investigação prática gera um estilo particular de comunicação e efeito cênico que hiperpotencializa a presença cênica do ator, expandindo e retendo a energia corpórea, gerando cenas, ações e personagens arquétipos de simbologia crítica. A grande produção de energia corporal sobre controle do ator, que os trabalhos revelaram ao longo dos anos, geram um magnetismo potente que traz o espectador para dentro da obra. Recursos de ação que saíram dessa investigação, como a ação fotográfica e o ator fragmentado estimula o criativo, o reflexivo do espectador fazendo com que ele crie junto com a obra, o espectador-criador. Chamamos essa investigação, trabalho pilar do grupo Refinaria e que está em constante desenvolvimento, de Teatro Marcial.
As pesquisas contínuas sobre o trabalho de Jerzy Grotowski, Meyerhold, Tadeusz Kantor, Antonin Artaud, Eugenio Barba e o teatro oriental sustentam e alimentam o trabalho desenvolvido pelo grupo, que visa o refinamento constante das ferramentas do principal elemento do teatro: o ator. Em nossas obras discutimos as distintas temáticas da situação de opressor e oprimido, buscando quebrar paradigmas e comodismos.
O grupo surgiu em 2008 e já se apresentou em diversos teatros de São Paulo e de outras cidades. Participou e recebeu premiações de diversos festivais nacionais e internacionais como o Festival de Curitiba, XVII Encuentro Latino Americano de Teatro de Copiapó – Chile, Festival Internacional de Chañaral – Chile, e Encuentro Internacional de Teatro em Aragua, na Venezuela
O grupo já foi contemplado em programas de apoio à produção artística como o Programa Myriam Muniz, o programa VAI II, o Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural, 28° Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo, entre outros. Todo o trabalho do grupo é autoral e ao longo de seus mais de dez anos de estrada, já criou 7 obras teatrais.
Em 2017 o grupo realizou uma parceria com a Universidade de Guadalajara – México, resultando na apresentação de diversas ações culturais (apresentação de obras, oficinas e palestras) do grupo em Guadalajara. Além de trabalhar com a obra “Porque as mulheres choram”, o grupo finalizou a construção do sexto espetáculo em parceria com o grupo Mexicano Perspectiva Escénica, que foi intitulada “Inexistência”. As apresentações ocorreram na cidade de São Paulo e em Guadalajara e outras cidades próximas (México).
Atualmente, o grupo está realizando o projeto “Teatro: Uma Pátria Habitável”, contemplado pela 32ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, que investiga as bases do teatro brasileiro antes da colonização, pesquisa atual desse grupo paulistano que objetiva, através de vivências e olhares nas manifestações artísticas de caráter cênico mais tradicionais dos povos indígenas brasileiros, encontrar a corporeidade cênica e a estrutura cênica dos povos originários das terras brasileiras. Pesquisa essa denominada de Encontro com o teatro de Pyndorama.
Para mais informações acesse o site: www.refinariateatral.com.br 
Serviço:
Encontro Paulista de Teatro de Grupo
32ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.
Grupo Refinaria Teatral
Datas: de 29 de Junho à 28 de Julho, Sábados às 20h e Domingos às 18h.
Local: Sede do grupo Refinaria Teatral
Endereço: Rua João de Laet, 1507 – Vila Aurora – CEP 02410-010
Lotação: 40 lugares
Ingressos: Pague Quanto Puder
Classificação: Livre

Assessoria de imprensa
Miriam Bemelmans
 miriam@bemelmans.com.br
(11) 3034-4997 e (11) 9 9969-0416
http://www.bemelmans.com.br/
https://www.facebook.com/bemelmanscomunica/

Miriam Bemelmans
(11) 3034-4997
(11) 9 9969-0416