EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

quinta-feira, 29 de março de 2018

Cypher Kidz faz shows no SESC Pompeia



Grupo de rap é formado por pré-adolescentes de 13 a 17 anos, incluindo MC Soffia


Nos dias 12 e 15 de abril, o SESC Pompeia vai receber a nova geração do rap nacional representada pelo grupo Cypher Kidz, formado por Cauan, Damyen, Kunumi MC, MC Mirim, MC Soffia, Tum Tum e a DJ Sophia. Entrada gratuita.

Apesar da pouca idade, os rappers cantam sobre a vivência e a influência do hip hop, além de temas como  internet, redes sociais, preconceito e diversão. No show, além de músicas que cantam juntos, os rappers apresentam também seus trabalhos autorais como “Barbie Black” e ‘Menina Pretinha” de MC Soffia, “O Kunumi Chegou” de Kunumi MC, “É o Rap Nêgo” de Cauan, “Cale-se, Cale-se” de MC Mirim, “4 Elementos” de Damyen entras canções.

O grupo foi formado no começo de 2017, seguindo a tendência do rap nacional de “cyphers”, em que MCs se reúnem para apresentar uma rima nova, e já gravaram dois videoclipes, com destaque para Cypherkidz Internet, exibido com exclusividade durante o Music Video Festival.

Sobre os integrantes
Cauan Sommerfeld - Aos 14 anos, Cauan já é um nome conhecido no meio do hip hop e já dividiu o palco com nomes de referência como Mano Brown, GOG, Projota, Douglas (Realidade Cruel) e WG (Consciência Humana). Lançou, em 2012 o primeiro disco e contou com a participação de grandes ícones do rap nacional, entre eles, Dexter, NDee Naldinho, Caju e Castanha, Sombra e Nego Jam. Além disso, foi um dos artistas citados no livro “O Hip Hop está Morto”, de Toni C. Thaíde, Chrigor e Jr. Vigilantes MCs são um dos artistas que já participaram de seus videoclipes.

Damyen - Aos quatro anos de idade, Danyen começou a cantar ao lado de seu pai, o também rapper Mano Kimba. Aos oito, foi convidado para fazer uma participação no show da rapper Amanda Negrasim e, após isso, recebeu convite de Kamilah Pimentel, mãe e empresária de MC Soffia, para participar de um projeto chamado Hip Hop Kidz, um grupo de rap infantil. A partir daí, começou sua carreira solo e lançou o primeiro videoclipe em 2016, com a música “4 Elementos”, produzida pelo diretor VRAS 77. Em 2017, lançou “Respeitar Pai e Mãe é Fundamental”, seu disco de estreia.

DJ Sophia - Sophia começou a frequentar shows e eventos culturais em 2013 e passou a admirar o trabalho de ícones do rap nacional de Racionais MCs, Karol Conká e Emicida. Teve seu primeiro contato com os toca-discos em 2014, quando participou de um workshop de DJ na escola E-djs. De lá pra cá não parou mais.  Participou de oficinas do projeto “O futuro do hip hop”, teve aulas particulares com a DJ Vivian Marques, participou do projeto “Tribo urbana” com aulas do DJ Erick Jay, se apresentou em eventos como Festival Percurso, Campeonato Brasileiro de Street Skate Feminino, Circuito São Paulo de Cultura, He for She Arts Week, Todas Podem Mixar, além de discotecar acompanhando MC Soffia, Luana Hansen, Amanda NegraSim, A’s Trinca, Lívia Cruz e entre outros.

Kunumi Mc - Kunumi é o nome artístico de Jeguaka Mirim,  escritor e cantor de rap, representante do povo guarani. Começou a ganhou notoriedade há um ano e, em seu canal no YouTube conta com vídeos ao lado de ícones do rap como Sombra (SNJ), Criolo e Sandrão (RZO).  É filho do escritor Olívio Jekupe e, além do hip hop, ele também dá palestra sobre a vida guarani e outros assuntos indígenas.

MC Mirim - Pedro Henrique Silva Rocha teve uma identificação muito grande com o rap desde pequeno e, aos poucos, aprendeu a rimar e a interpretar as músicas que ouvia. Em 2009, já com o nome artístico de MC Mirim, começou a participar das atividades culturais que a produtora cultural e social A Banca (www.abanca.org) realizava como ensaios abertos, oficinas de MC´s e eventos em espaços públicos.

MC Soffia - Soffia começou a carreira no cenário do hip hop aos 11 anos quando lançou a música “Menina Pretinha”, que fala sobre autoestima de crianças negras e a fez ganhou notoriedade. De lá pra cá, cantou na abertura das Olimpíadas 2016 ao lado de Karol Conká, sua “madrinha na música”, participou do documentário “Repense o Elogio” sobre o peso dos elogios para meninos e meninas, se apresentou na comemoração ao Dia da África, no festival Sons da Rua, cantou ao lado de Elza Soares e ganhou o prêmio Cláudia 2017 na categoria “Revelação”entre outros. Em março, lançou o single “Barbie Black”, produzido por Boss in Drama e se prepara para o lançamento de seu primeiro disco.

Tum Tum - Nascido em Carapicuíba, João Victor Claudino teve seu primeiro contato com o hip hop aos três anos, assistindo videoclipes internacionais e imitando os rappers americanos. Aos seis anos, começou a fazer parte do projeto “O Futuro do Hip Hop” organizado pela sua madrinha e DJ Vivian Marques. Desde então, fez parte do projeto Hip Hop Kidz, escreve suas rimas e tem a old school do rap nacional como sua maior referência.

Acesse:




Quinta-feira, 12 de abril - 14h30 (apresentação no Teatro do SESC)
Domingo, 15 de abril - 18h (apresentação na Comedoria do SESC)
Teatro do SESC Pompeia: Rua Clélia, 93 - Pompeia
Entrada gratuita - retirar ingressos com 1h de antecedência

Informações para imprensa
Ana Claudia Luiz

Tel. (11) 9-8326-6683

Larissa Luz faz apresentação única no SESC Pompeia




Baiana é um dos destaques da nova cena da música popular brasileira e, em meio à turnê, se prepara para viver Elza Soares no teatro


Larissa Luz é cantora, compositora e atriz. No dia 06 de abril, sexta-feira, ela leva toda a sua musicalidade e fusão de ritmos negros da Bahia para apresentação no SESC Pompeia, às 21h30, acompanhada de Ênio (guitarra e beatmaker) e as dançarinas Érica Ribeiro e Thai Cerqueira. Os ingressos estarão à venda a partir de 27 de março, terça-feira, e variam de R$ 6,00 a R$ 20,00.


Em turnê com o show “Território Conquistado” do disco homônimo lançado em 2016 pela Natura Musical, a artista baiana vem colhendo bons frutos do álbum de estreia. Foi indicada ao Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum Contemporâneo em Língua Portuguesa”, ao Prêmio da Música Brasileira e ao Women’s Music Event. Conquistou o Prêmio Caymmi de Música na categoria  “Melhor Videoclipe” e “Artista Revelação” no prêmio SIM de Música.


O disco, que contou com a participação especial de Elza Soares, traz referências a diversas mulheres com papel relevante dentro do feminismo negro, entre elas,  Nina Simone, Bel Hooks e Chimamanda Ngozi. Engajada e ativista, Larissa faz da sua música uma ferramenta política mergulhando na cultura afro brasileira e música sob uma perspectiva feminina. Do trap ao samba duro, passando por samba reggae e dubstep, o show de Larissa Luz ganha ainda mais força com a contribuição visual da performance marcante da cantora com a influência do teatro e da dança que potencializa o discurso.


Larissa Luz também vive grande momento nos palcos teatrais. Atualmente, ela se prepara para viver Elza Soares, uma das suas maiores referências na música brasileira. Ao lado de mais seis mulheres, ela faz parte de “Elza Soares, o Musical”, previsto para estrear em outubro deste ano, inicialmente, no Rio de Janeiro.


Larissa Luz @ SESC Pompeia
Sexta-feira, 06 de abril, às 21h30
Ingressos: R$ 6,00 a R$ 20,00


Informações para imprensa
Ana Claudia Luiz - anacluiz02@gmail.com

Tel. (11) 9-8326-6683

MC Soffia reúne meninas negras para roda de conversa





A próxima edição acontece no Aparelha Luzia e tem por objetivo trabalhar a autoestima de garotas para que não sejam vítimas de racismo



Foto: divulgação




São Paulo, março de 2018 - No dia 31 de março, sábado, acontece a terceira edição do Preteenha Rainha, encontro realizado pela rapper MC Soffia, que reúne meninas negras, de 10 a 17 anos, para troca de experiência sobre a vida de adolescente. A entrada é gratuita e acontece no Aparelha Luzia, das 15h às 20h.


Recentemente, MC Soffia sofreu ataques racistas na internet e, por conta disso, esse será um dos temas abordados na roda de conversa para que diálogo e a troca de informação possam contribuir no fortalecimento da autoestima das meninas negras. Tudo isso terá trilha sonora da DJ Sophia, além de dicas de penteados afros com a cabeleireira Amanda Diva Green, discussão sobre moda sem gênero, beleza, sarau e sorteio de brindes.


“Eu fico muito ansiosa e feliz quando tem evento do Preteenha Rainha. É muito bom essa troca de experiências porque eu percebo que algumas coisas que eu sinto e penso também acontecem com elas. Saio daqui com muitas amigas, a gente cria grupo no whatsApp, combina passeios”, afirma MC Soffia.


Kamilah Pimentel, mãe e empresária da MC Soffia, teve a ideia de criar o Preteenha Rainha a partir de um questionamento da filha sobre não ter amigas negras da sua idade. Com isso em mente, ela fez uma postagem nas redes sociais para saber se pessoas que tinham filhas, sobrinhas ou afilhadas da mesma idade também percebiam essa ausência e recebeu um feedback semelhante ao da Soffia.


A partir disso, Kamilah e MC Soffia começaram a desenvolver a primeira edição do evento, que aconteceu em setembro de 2017 no Aparelha Luzia. A segunda edição foi em novembro, como parte da programação da Feira Preta, e reuniu cerca de 20 meninas. Os temas tratados foram escolhidos a partir de inquietações da Soffia sobre racismo, cabelo crespo, autoestima, moda sem gênero entre outros, além de promover a interação entre as meninas.


“O objetivo do Preteenha Rainha é oferecer um espaço para que meninas negras se sintam acolhidas, tenham orgulho de ser quem são, se fortaleçam, se empoderem e, claro, façam tudo isso de uma maneira divertida porque são adolescentes, gostam de dançar, de ouvir música, de redes sociais..” declara Kamilah Pimentel.


Essa é a primeira edição do projeto em 2018, mas a ideia é que ele aconteça, mensalmente, e possa promover encontros também em regiões da periferia.


Preteenha Rainha
1ª edição:



MC Soffia convida para o Preteenha Rainha (3ª edição)
Local: Aparelha Luzia - Rua Apa, 78 - centro
Horário: 15h às 20h
Entrada: gratuita
Obs: é proibida a presença de pais ou responsáveis durante o evento.


Informações para imprensa
Ana Claudia Luiz - anacluiz02@gmail.com
(11) 9-8326-6683


terça-feira, 27 de março de 2018

Fabiana Cozza canta Dona Ivone Lara e abre Samba Imenso, novo projeto musical do Sesc Pompeia



Fabiana Cozza Foto: Kriz Knack | 


Na companhia do violonista Alessandro Penezzi, Fabiana sobe ao palco nos dias 31/3 e 1º/4. Samba Imenso continua até o fim do ano, homenageando sambistas em shows intimistas

Fonte : Márcia Marques / Canal Aberto 

O samba pede passagem e ganha homenagem no Sesc Pompeia. Nos dias 31 de março e 1º de abril, sábado, às 21h, e domingo, às 18h, Fabiana Cozza interpreta clássicos de Dona Ivone Lara, no teatro da unidade. A cantora é acompanhada pelo violonista Alessandro Penezzi.



Alessandro Penezzi Foto: Fernanda Correia

O show inaugura o projeto “Samba Imenso”, que apresentar, mensalmente, a discografia de nomes consagrados do samba brasileiro por meio da voz de um intérprete da nossa música, sempre em uma formação intimista.

Em abril, nos dias 28 e 29, é a vez de BNegão, acompanhado pelo violão de Bernardo Bosisio, interpretar a obra de Dorival Caymmi. A edição de maio (31/5 e 1º/6) homenageia Wilson Moreira com Mônica Salmaso (voz) e Paulo Aragão (violão). Os ingressos variam entre R$ 9 e R$ 30,00. O projeto Samba Imenso continua até o fim do ano, mas ainda não há outros nomes confirmados.

Fabiana e Dona Ivone
Idealizada por Fabiana e Penezzi, esta apresentação celebra parte do cancioneiro de Dona Ivone e seus parceiros, com destaque para o mais “reluzente” na opinião de Fabiana: o poeta Délcio Carvalho – entre as canções que serão apresentadas desta parceria, destaque para “Nasci para Sonhar e Cantar”,  “Sonho Meu” e “Liberdade”.

Yvonne Lara da Costa, ou apenas Dona Ivone Lara, foi a primeira mulher a integrar a ala dos compositores de uma escola de samba, a Império Serrano, em 1965. Enfermeira de profissão, foi só aos 56 anos de idade que Dona Ivone passou a se dedicar exclusivamente à música e lançou seu primeiro disco, "Samba Minha Verdade, Samba Minha Raiz", em 1978. A partir de então, teve suas composições gravadas por grandes nomes da música popular, de Beth Carvalho a Clara Nunes, passando por Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Marisa Monte, entre muitos outros.

Fabiana Cozza começou sua carreira no samba - como anunciava seu primeiro disco, “O Samba é meu dom”, lançado em 2005. De lá para cá, tem sido considerada como uma das importantes intérpretes da música brasileira. Hoje tem seis CDs e dois DVDs gravados.

Violonista, compositor e arranjador, Alessandro Penezzi também toca violão de 7 cordas, violão tenor, cavaquinho, bandolim e flauta. Nascido em Piracicaba, interior de São Paulo, já tocou com Dominguinhos, Hermeto Pascoal, Zimbo Trio, Beth Carvalho, Sílvio Caldas, Billy Blanco, Alaíde Costa, D. Ivone Lara, entre outros artistas.

SERVIÇO:

Fabiana Cozza canta Dona Ivone Lara
Com o violonista e compositor Alessandro Penezzi
Projeto Samba Imenso
31 de março e 1º de abril, sábado, às 21h, domingo, às 18h
Local: Teatro*
Ingressos:
 R$ 9,00 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$ 15,00 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 30,00 (inteira).

Ingressos: venda online pelo endereço sescsp.org.br/pompeia e venda presencial nas bilheterias das unidades do Sesc SP.
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos.

Sesc Pompeia  Rua Clélia, 93.
Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações, acesse o portal sescsp.org.br/pompeia


Para credenciamento, encaminhe pedidos para imprensa@pompeia.sescsp.org.br

Assessoria de Imprensa
Com Canal Aberto
Márcia Marques | Carol Zeferino | Daniele Valério
Contatos: (11) 2914 0770 | 9 9126 0425

Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia:Fernanda Porta Nova e Guilherme Barreto 
Estagiária: Camila Cetrone 
Coordenador de comunicação: Igor Cruz
Telefone: (11) 3871-7720 / 7776imprensa@pompeia.sescsp.org.br

SOBRE OS ARTISTAS

FABIANA COZZA
Fabiana Cozza é paulistana, cantora e jornalista (pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo  - PUC-SP). Deixou o Jornalismo aos 24 anos para assumir sua carreira artística de intérprete da canção que passa também pelo teatro e a dança. Trabalhou nos musicais 'Os Lusíadas' com direção de Iacov Hillel e musical de Magda Pucci; 'A luta secreta de Maria da Encarnação', última peça escrita por Gianfrancesco Guarnieri com direção musical de Renato Teixeira e Nathan Marques; O Canto da Guerreira - 20 anos sem Clara Nunes; Ary Barroso; Rainha Quelé - uma homenagem a Clementina de Jesus. Estudou danças brasileiras com Tião Carvalho, Renata Lima e nos terreiros e festas populares das quais participou de Norte a Sul do Brasil. Trabalhou dança contemporânea e consciência corporal com o mineiro Jorge Balbyns, discípulo de Klaus Vianna; dança do Mali e africana com Irineu Nogueira e foi dirigida pelo bailarino e coreógrafo JC Violla.

Cursou canto popular, teoria musical e prática de conjunto na Universidade Livre de Música Tom Jobim (atual Emesp) durante quatro anos. Seguiu estudando técnica vocal com professores particulares: Sira Milani, Maúde Salazar, Vânia Pajares, Felipe Abreu. Atualmente é orientada pela professora do Pantheatre de Paris Linda Wise e pelo professor e cantor italiano Davide Rocca, da Academia do Scala de Milão. Em 2014, Fabiana Cozza completou 17 anos de carreira e tem sido anunciada por críticos e público uma das importantes intérpretes da música brasileira contemporânea. Hoje tem seis cds e dois DVDs gravados.

ALESSANDRO PENEZZI
Violonista, compositor e arranjador, Alessandro Penezzi também toca violão de 7 cordas , violão tenor, cavaquinho, bandolim e flauta. Nascido em Piracicaba, interior de São Paulo, iniciou os estudos de violão aos 7 anos. Formado em violão erudito pela Escola de Música de Piracicaba – sob a orientação do Maestro Ernst Mahle e do professor Sérgio Belluco, que lhe apresentou o Choro. É bacharel em Música Popular pela Unicamp com especialização em Processos Criativos pela Faculdade Souza Lima. Integrou o Regional de Carlos Poyares, Trio Quintessência e Grupo Choro Rasgado. Em trio, atuou com Yamandú Costa e Rogério Caetano, e Sizão Machado e Alex Buck. Em duo, com o maestro Laércio de Freitas, Alexandre Ribeiro e Nailor Azevedo “Proveta”. Tocou com Dominguinhos, Hermeto Pascoal, Zimbo Trio, Beth Carvalho, Sílvio Caldas, Billy Blanco, Alaíde Costa, D. Ivone Lara e as orquestras Jazz Sinfônica de São Paulo e Sinfônica de Londres.
Já atuou em vários países ao redor do mundo como EUA, Rússia, Gabão, Angola, Itália, Alemanha, Dinamarca, Holanda, Argentina, Uruguai, Colômbia, Marrocos, Portugal, entre outros. Sua música já foi gravada por artistas como Beth Carvalho, Yamandú Costa, Danilo Brito, Bruno Moritz, Dexter Payne, Brian Silber, Regional de NY, e Jane Lenoir, flautista norteamericana que gravou o álbum Jane Lenoir plays Penezzi. somente com músicas do compositor.

Sansacroma leva programação gratuita ao Sesc Campo Limpo para celebrar 15 anos de existência



 Fonte : Lau Francisco / Fotos : Thais Kruse 


De 08 a 14 de abril de 2018 a Cia. Sansacroma prossegue suas comemorações de 15 anos de existência e leva ao Sesc Campo Limpo uma programação especial que inclui  espetáculos, workshops, rodas de conversa e exibição de vídeos. Em duas das atrações (espetáculo Outras portas Outras pontes e mesa de discussão) haverá interpretação em LIBRAS - Linguagem de sinais - garantindo a acessibilidade das pessoas surdas.


As atividades no Sesc, todas GRATUITA, são pontuadas pelo que de melhor o grupo realizou até agora e são permeadas pela temática principal da companhia que é a Dança da Indignação, conceito criado por Gal Martins, dançarina e coreógrafa da companhia. Tais idéias norteiam o processo de pesquisa de linguagem estética da companhia. O ponto de partida das criações da Sansacroma são as poéticas e políticas do corpo negro.


PROGRAMAÇÃO SESC CAMPO LIMPO
Dia 08 de abril, domingo, das 18h às 19h30, na Tenda
Programa Retratos – Exibição de curtas

Sinopse
O programa, na sua 2a. edição, faz uma homenagem à figura dos “griots”, cuja função primordial é a de educar e transmitir conhecimento. Haverá exibição de dois episódios, seguida de bate-papo com os homenageados Maria Rodrigues e Sebastião Biano e os intérpretes Ciça Coutinho e Erico Santos.

Ficha técnica
Abertura: Gal Martins
Homenageados: Sebastião Biano e Maria Rodrigues
Intérprete-criadores: Érico Santos e Ciça Coutinho

* Ficha técnica Vídeos
Episódio 2. Maria Rodrigues | Ciça Coutinho
Direção geral e artística: Gal Martins
Homenageada: Maria Rodrigues
Intérprete-criadora: Ciça Coutinho
Cineasta responsável: Julia Zakia
Produção e câmera adicional: Dandara Gomes
Trilha sonora: Érico Santos
Arte gráfica: Kako Arancibia
Agradecimentos: MTST - Movimento dos Trabalhadores sem Teto, Ocupação Povo sem Medo - Valo Velho

Episódio 3. Sebastião Biano | Érico Santos
Direção geral e artística: Gal Martins
Homenageada: Sebastião Biano
Intérprete-criador: Érico Santos
Cineasta responsável: Julia Zakia
Produção e câmera adicional: Dandara Gomes
Trilha sonora: Sebastião Biano e Érico Santos
Arte gráfica: Kako Arancibia
Agradecimentos: Alzira Biano e família

Dia 10 e 11 de abril, terça e quarta-feira, das 19h às 20h
Espetáculo “Outras Portas Outras Pontes”
Local: O espetáculo tem início no ponto de ônibus em frente ao Shopping Campo Limpo, na Estrada do Campo Limpo

Num primeiro momento, o espetáculo revela o olhar sobre o apartheid “gentil” existente no Brasil, onde negros operários são tratados como sub-cidadãos e os espaços físicos geram separações. Num segundo, as cenas mostram quando a consciência desta separação torna-se indignação e é transformada em materialidade poética, explorando questões como herança cultural e identidade do brasileiro. Este espetáculo terá interpretação em LIBRAS (Linguagem de Sinais, para as pessoas surdas).

Ficha Técnica
Direção: Gal Martins
Direção Coreográfica e Concepção: Yáskara Manzini
Assistente de Direção: Djalma Moura
Intérpretes Criadores: Djalma Moura, Ciça Coutinho, Érico Santos, Malu Avelar e Aysha Nascimento
Intérpretes Convidados: Victor Almeida e Tiago Silva Meira "Boogaloo Begins"
Figurinos e Adereços: Mariana Farcetta
Trilha Sonora: Cláudio Miranda
Operador de Som: Danilo Santana
Produção: Maria Fernanda Carmo e João Simões

Dia 12 de abril, quinta-feira, das 20h às 21h30
Roda de Conversa - Poética da Indignação como Potência Artística
Local: Tenda

A potente poética da Dança da Indignação, conceito criado pela artista da dança, arte educadora. gestora cultural e futura Socióloga Gal Martins, é tema da mesa parte da programação de celebração dos 15 anos da Cia. Sansacroma. Após a conversa será feito o lançamento do livro publicado em comemoração aos 15 anos da companhia.

Mediação:
Anelise Mayumi – Artista da Dança integrante do grupo Fragmento Urbano
Participantes:
Gal Martins – Artista da Dança, criadora da Cia. Sansacroma
Priscila Obaci - Atriz e educadora de Dança Materna
Deise de Brito - Artista e Pesquisadora da Dança
Duração: 2 horas / classificação livre


Dia 14 de abril, sábado, às 14h
Oficina Dança negra contemporânea para crianças

A oficina tem como objetivo geral aproximar os participantes da linguagem artística da dança, trabalhando a expressão corporal e a convivência. A metodologia tem como base a relação entre a prática da dança e o processo reflexivo do fazer. As aulas são intercaladas com leitura de textos e diálogos sugeridos pelos mediadores. Como objetivo específico visa sensibilizar/provocar o contato com a dança de maneira lúdica, usando os pressupostos da lei 10639/13, aprovada em 2013, que pressupõe o ensino de história e cultura afrobrasileira e indígena. O foco aqui é sobretudo os de história e cultura afrobrasileira. Tendo em vista a pesquisa da Companhia Sansacroma sobre o território periférico, negritude e suas implicações sociais, culturais e políticas, a oficina proporcionará esta vivência e aproximação com o universo da Companhia.

Duração: 1 encontro de 3h de duração
Participantes: 30 pessoas, entre 7 e 14 anos, não há necessidade de conhecimento prévio em dança

SERVIÇO

SANSACROMA 15 ANOS
SESC CAMPO LIMPO - GRATUITO
            R. Nossa Sra. do Bom Conselho, 120 - Vila Prel,
            São Paulo – SP