EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

quinta-feira, 30 de maio de 2019

PAULA LIMA NO BOURBON STREET - 6 DE JUNHO


Fonte :Assessoria Bourbon Street 


Paula Lima apresenta seus novos singles: o balanço Fiu Fiu e a romântica Mil Estrelas, músicas que já vem sendo executadas em todo Brasil e que estão em todas as plataformas digitais.
A faixa Fiu Fiu, surge com ares de hit e cheia de suingue, marca registrada da cantora. A música é vibrante e fala de forma descontraída sobre a elegância masculina na arte da conquista. É inspirada nos movimentos em defesa dos direitos das mulheres e destinou a Paula um novo papel como embaixadora do Tribunal de Justiça de SP, na Coordenadoria de Assuntos de Violência Doméstica. Os compositores Pretinho da Serrinha, Gabriel Moura e Leandro Fab
fizeram esta canção sob medida para a voz poderosa e marcante da cantora, e pode ser conferida na novela Malhação da TV Globo, como tema da personagem Tânia da atriz Deborah Secco.
Mil Estrelas é seu outro single mais recente nas rádios de todo Brasil. É uma envolvente composição de Ivo Mozart e Zeider Pires (Planta e Raiz), que fala de amor e dos apaixonados de uma forma leve e viciante. Produzida por Alexandre Kassin ela ganhou um ar "pop soul" cheio de frescor, onde a voz singular de Paula se encaixa com toda delicadeza e frescor.
No palco, a vibração de Paula Lima e de seus músicos é a tônica que vem envolvendo e extasiando a plateia. O show conta com os grandes sucessos da cantora como "Meu Guarda Chuva”, “É Isso Aí”, “Tirou Onda”, “Clareou” entre outros. A longa trajetória musical de Paula Lima foi iniciada na banda Funk Como Le Gusta, e reafirmada em parcerias com Jorge Benjor, Elza Soares, Mondo Grosso, Dona Ivone Lara, Milton Nascimento, DJ Afrika Bambaataa, entre outras.
Serviço
Local: Bourbon Street | Rua Dos Chanés, 127 – Moema – SP
Bilheteria Bourbon Street: Rua dos Chanés 194 – de 2ªf.a 6ª.f das 9h às 20h, sábado e feriado das 14h às 20h
Fone para reserva: (11) 5095-6100 (Seg. a sexta) das 10h às 18h - sem taxa de conveniência
Data : 06/06/2019 – quinta-feira
Horário: 22h30
Abertura da casa: 21h
Duração: 80 min. aproximadamente
Couvert Artístico: 1º Lote R$ 65,00 (Pista) / R$ 85,00 (Mesa)
** Quem tem 25 anos não paga couvert artístico. De 13 de dezembro de 2018 a 12 de dezembro de 2019 quem tiver 25 anos não paga couvert artístico. Essa promoção é válida para as 25 primeiras pessoas em cada noite. Os interessados deverão apresentar documento
Venda Ingresso Rápido


ALMOÇO & MÚSICA // QUIMBARÁ NA CASA DE FRANCISCA



Da  delicadeza e do lirismo da Cuba antiga às festas e danças de Porto Rico e Colômbia, o grupo paulistano Quimbará interpreta ritmos do Caribe hispânico, como cumbia, son cubano, bolero, salsa  e chá-chá-chá.
No repertório, clássicos do Buena Vista Social Club, Willie Colon/Hector Lavoe, Célia Cruz, Rubén Blades, Totó La Momposina, Simon Diaz, entre outros.
Especialmente para esse show, a banda convidou para uma participação, a flautista
Angela Coltri.  Formada pelos conservatórios de Tatuí, EMESP,  e pela Universidade
de  São Paulo, Angela Coltri já integrou diversos projetos voltados ao choro, como Língua Brasileira, Coisa da Antiga, e o Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí.
Desenvolve atualmente trabalhos relacionados à música latino-américa, com Duo Entre Latinos, e o Latina-jazz.

SERVIÇO :
Couvert artístico : R$ 26,00 (não faz reservas durante o almoço)
Sábado 01/06
Horário: 12 hs
Casa de Francisca
Rua Quintino Bocaiuva, 22 Sé – SP
Fone: 3052-0547
Capacidade : 120 pessoas
Acessibilidade e  WIFI 


Alaíde Costa : A artista se apresenta na Casa de Francisca.

Alaide Costa /Ernesto Rodrigues/Folhapress


Alaíde Costa foi uma pioneira no reconhecimento  da grandeza de um jovem e quase desconhecido compositor: Chico Buarque.
Em 1965, no disco intitulado simplesmente “Alaíde Costa”, a artista gravou a canção “Sonho de Um Carnaval”, antes, pois, da consagração do compositor carioca no II Festival da Música Popular Brasileira (1966), em que “A Banda” dividiu o primeiro lugar com “Disparada”.
Era o início da trajetória daquele que viria a ser reconhecido por todas as gerações como um dos maiores criadores da música brasileira, paralelamente à consolidação de  Alaíde como uma das mais  de representativas vozes do país. Na vasta obra de Chico Buarque, as parcerias com Edu Lobo, sempre lembrado com um dos fundadores da MPB, e uma força incontestável, da cultura contemporânea, tem inevitável destaque.
No show, entre as mais de 40 composições, nascidas do encontro de Chico Buarque e Edu, Alaíde apresenta aquelas que se enlaçam com a peculiaridade e a profundidade
de sua interpretação, como é o caso de “A mulher em cada porto” e “ Valsa Brasileira”, numa união alimentada pelos arranjos intimistas.
E, Alaide também interpreta canções emblemáticas com “Sonho de Carnaval” (Chico Buarque), “Atrás da Porta” (Chico Buarque / Francis Hime). “Pra Dizer Adeus” (Edu Lobo/ Torquato Neto ).
Acompanhada de Giba Estebez (piano e direção musical), Vitor Alcantâra ( flauta, sax soprano e sax tenor), Filipe Massumi ( violoncelo)
Direção : Lucas Faria
SERVIÇO :
Sábado 01/06
Horário: 22 hs
Casa de Francisca
Rua Quintino Bocaiuva, 22 Sé – SP
Fone: 3052-0547
Capacidade : 120 pessoas
Acessibilidade e  WIFI

Memória Negra Do Samba Paulista 2 | SESC Osasco





Fonte : SESC Comunicação 

Com Bernadete, Maria Helena, Penteado, Seu Dadinho, Toinho Melodia e Vó Susana.
Esse show é uma extensão do primeiro Memória Negra, que contou com a presença de outros grandes nomes do Samba Paulista, agora, o intuito é contar a história sobre a perspectiva de nomes que por mais que já possuam sua contribuição registrada no samba, ainda não possuem um reconhecimento expressivo sobre sua história.
O projeto surgiu no Instituto do Samba de São Mateus e tem o intuito de apresentar, resgatar e homenagear a história de alguns compositores e cantores importantes da cidade de São Paulo, já que a ocultação da memória negra ainda é um tema pertinente a ser discutido na cidade. O samba paulistano continua com sua luta para a obtenção dessa representatividade.



SERVIÇO:
31 de Maio de 2019, Sexta-feira, às 15:00h
Sesc Osasco
Avenida Sport Club Conrinthians Paulista, 1300 Jardim das Flores Osasco 06132-380 Brazil

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Aniel Someillan apresenta “Quilombo” no Blue Note SP




O músico  cubano mostra a confluência entre a  música afrocubana e afrobrasileira.

No próximo dia 29 de maio, quarta-feira, às 21h, o contrabaixista cubano Aniel Someillan apresenta o álbum  de estreia ‘Quilombo’ no palco do Blue Note. Radicado há mais de 4 anos no Brasil, o disco é resultado de uma pesquisa baseada nos pontos de confluência da música afrocubana e afrobrasileira. Tanto a produção executiva quanto a musical, além das composições e arranjos, foram feitos pelo próprio artista. No show a banda que o acompanha é formada por Fábio Leal (BRA) (guitarra), Rodrigo Digão Braz (BRA) (bateria), Eduardo Espasande (CUB) (percussão) e Oscar Aldama (PAR)  (piano).

Sobre " Quilombo"
É  um projeto de latim jazz que possui um trabalho autoral, associado a versões de clássicos da música popular cubana com influências afro e do jazz moderno. Aniel traz em seu DNA uma veia inovadora, rica em nuances, sonoridades e ritmos, misturando de forma inédita ritmos afro-cubanos, brasileiros à elementos da música europeia e às novas tendências do jazz moderno, resultando numa estética contemporânea do ponto de vista harmônico, melódico e rítmico.


• SERVIÇO •
Aniel Someillan apresenta 'Quilombo' no Blue Note SP
Data: quarta-feira, 29 de maio
Local: Blue Note
Endereço: Av. Paulista, 2073- Consolação
Horários:
Abertura da casa - 20h
Horário do show- 21h

• INGRESSOS •
Premium - R$40 inteira / R$20 meia


Espetáculo "AJEUM" evoca a força de Iansã num compartilhamento de danças e potências





Obra coreográfica partiu da necessidade do intérprete-criador e diretor Djalma Moura de compartilhar o andamento de suas investigações encontradas na Orisá Oya - Iansã e seus processos de transmutações: Vento, Búfalo e Borboleta. 

Com estreia na próxima segunda-feira (03/06) e apresentações de 4 a 8 de junho, o Núcleo Djalma Moura de Danças traz ao público seu mais novo espetáculo, “AJEUM”, na Oficina Cultural Oswald De Andrade. De 03 a 07 de junho, as apresentações serão às 20h; no sábado (08/06), será às 18h. Os ingressos são gratuitos.

A palavra ajeum (ajeun) é a contração das palavras awa (nós) e jeun ou jé (comer), transformada poeticamente em "comer juntos", uma refeição grupal, comunal. O momento, considerado solene no candomblé, é a reunião da comunidade em torno de um alimento comum. “AJEUM” é partilha, acalento e vibração energética.

A proposta da obra coreográfica “AJEUM”, partiu da necessidade do diretor e intérprete-criador Djalma Moura de compartilhar com outros pesquisadores em dança o andamento de suas investigações em dança e movimento até o presente.



Esta proposta se soma aos projetos anteriores “Depoimentos para fissurar a pele” e “Boi da Cara Preta”, ambos de concepção, direção e dança de Djalma Moura, no qual o intérprete se desdobrou na criação de uma dança solo guiada pelas qualidades das danças e fisicalidades encontradas na Orisà Oya – Iansã e seus processos de transmutações: Vento, Búfalo e Borboleta.

“AJEUM” convida outros dançarinos a experimentar coletivamente o que foi experimentado no solo “Depoimentos para fissurar a pele”. Djalma propõem a partilha dos procedimentos para a criação desta nova obra que tem uma estrutura triádica:

A Chegada – nesse primeiro momento, as impressões e compreensões de um corpo vento, um corpo que leva e traz, que possa gerar transformação no espaço e nas danças de cada um em relação dialética. Como ser vento? Como o corpo reage ao ser atingido pelo vento? Como provocar vento?

A Presença – está relacionada ao estar firme, contundente e presente na cena, no espaço, na relação e no mundo. Como um búfalo, é ter consciência de onde se vive e o como operar no ambiente.



A Comunhão – onde a corporeidade assume a transformação de borboleta que flutua e se faz presente, levando para a cena uma proposta de persistência no voar, fissurar e criar diálogos com o mundo. Essa última dança chega como uma tempestade na cena: Oya e suas transmutações, de maneira poética, são evocadas para o desdobramento de cada corpo / dança.

Para além da partilha, “AJEUM” é criar redes em tempo, espaço, tecnologias e fisicalidades. É colocar à mesa um alimento que vem sendo plantado e cultivado, não sozinho, mas em parcerias que atravessam fissuras, perfuram peles, alcançando a cosmogonia poética de cada um, o princípio meio e fim do corpo, todos arrebatados por uma tempestade de ambiguidades e provações, Oya – Iansã. Pousa como uma borboleta e rasga como um búfalo. E eis que a brisa vem.




SERVIÇO:
O que: Espetáculo “AJEUM” – Núcleo Djalma Moura de Danças
Quando: Estreia na próxima segunda-feira (03/06) e apresentações nos dias 4, 5, 6 e 7 de junho, às 20h; e no dia 8 de junho (sábado), às 18h
Onde: na Oficina Cultural Oswald De Andrade, à Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo, SP.
Quanto: Espetáculo gratuito
Duração: 45 minutos
Classificação etária: livre
Informações: Tel: (11) 3222-2662




FICHA TÉCNICA
Concepção, Direção e Coreografia: Djalma Moura
Direção Musical: Leandro Perez
Interpretes – criadores: Aysha Nascimento, Erico Santos, Marina Souza, Victor Almeida, Sabrina Dias e Djalma Moura.
Provocadoras: Deise de Brito, Yaskara Manzini e Kanzelumuka
Preparação Corporal: Everton Ferreira
Criação de Luz: Fernando Melo e Dida Genofre
Figurino: Abmael Henrique | Figurinos Artesanais
Máscaras: Cleydson Catarina e Ubere Guelé
Orientação Cósmica: Baba Flávio Iyemonjá Ase Olokun
Fotografia de Divulgação: Raoni Reis
Arte Gráfica: Felipe Pardini
Assessoria de Imprensa: Marcelo Dalla Pria
Produção executiva: Sol Almeida
Direção de Produção: Djalma Moura e Erico Santos
Agradecimentos: Centro de Referência da Dança, Fábrica de Cultura Jardim São Luís.
Com amor: Carol Zanola – Iranti

Somos Tão Jovens volta em terceira temporada no mês do Orgulho LGBT, integrando mostra no Décio de Almeida Prado

Espetáculo de Vinícius de Oliveira com direção de Ricardo Grasson está indicado ao Prêmio Aplauso Brasil na categoria Voto Popular, sendo ainda finalista como Melhor Espetáculo para o Público Infantojuvenil, em produções do ano de 2018.






Depois de temporadas no Teatro Nair Belo e Teatro Augusta, em 2018, o espetáculo Somos Tão Jovens reestreia no dia 1º de junho (sábado, às 21h), no Teatro Décio de Almeida Prado, onde permanece somente até o dia 23 de junho. Com texto de Vinícius de Oliveira e direção de Ricardo Grasson, o espetáculo traz a história de adolescentes que vivem a intensidade de sentimentos, característica da idade.

Somos Tão Jovens integra a Mostra Décio que ocorre junho, mês dedicado ao Orgulho LGBT, reunindo dois espetáculos que abordam a temática da diversidade sexual (o outro é Eu Sei Exatamente Como Você Se Sente, do Núcleo Experimental com direção de Zé Henrique de Paula), além do infantil O Inimigo, da República Ativa de Teatro.

Em cena, seis jovens sentem-se livres para expressar e compartilhar tudo que estão sentindo e vivendo, sem filtros nem meias palavras. Suas dúvidas, seus medos e suas angústias se alternam com as alegrias, erros e acertos das personagens vividas por Júlio Oliveira (Théo), Gabriel Moura (Renato), Fernando Burack (Daniel), Danillo Branco (Guilherme), Luís Fernando Delalibera (Plínio) e Marcos Oli (Beto).

A trilha sonora proporciona um clima intenso e vibrante à encenação, conduzindo a temática jovem, colorindo as cenas com canções que embalaram a juventude nas décadas de 1980 a 2000. A música Tempo Perdido, da banda Legião Urbana, por exemplo, garante um dos momentos mais nostálgicos para o público.

O diretor Ricardo Grasson comenta que Somos Tão Jovens está em plena sintonia com os dias atuais, onde os diálogos são cada vez mais difíceis. Ele explica que a aposta da direção na simplicidade e na mensagem direta para o jovem confere dinamismo e fluidez à encenação. “O teatro tem a característica de mostrar a vida como ela realmente é para, assim, propor questionamentos. Não importa se é clássico ou contemporâneo, o bom do teatro é a possibilidade de falar do ser humano com todas as camadas que o envolve”.

Ambientado em cenários lúdicos de uma metrópole - um barzinho, um apartamento, um terraço. Os temas abordados são tão diversos quanto as questões que sempre povoaram a vida dos jovens na fase de amadurecimento. O espectador é conduzido por um universo surreal, recheado de medos, incertezas, sonhos, alegrias, angústias, paixões, rebeldias e devaneios. No decorrer da trama, afloram questões ligadas a preconceitos, uso de drogas, relacionamentos afetivos e sexualidade.

O autor Vinícius de Oliveira revela que se inspirou no espetáculo Garotos, de Leandro Goulart, no filme Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro, e no livro As Meninas, de Lygia Fagundes Telles, para escrever o texto e elaborar a dramaturgia. “Essas obras impulsionaram e ajudaram a costurar a trama. Histórias que aconteceram comigo e com pessoas próximas também serviram como propulsores”. E completa dizendo que “Somos Tão Jovens é um espetáculo que cativa não só os jovens, que vivem essas cenas cotidianamente, como as pessoas adultas, que passaram por esses momentos em algum ponto da vida”.

A temporada no Teatro Décio de Almeida Prado promete participação de convidados especiais, que atuarão em uma das cenas. Os nomes serão divulgados oportunamente.

Ficha técnica

Dramaturgia: Vinicius de Oliveira. Direção: Ricardo Grasson. Assistência de direção: Heitor Garcia. Elenco: Júlio Oliveira, Gabriel Moura, Fernando Burack, Danillo Branco, Luís Fernando Delalibera e Marcos Oli. Figurino e adereços: Rosângela Ribeiro. Desenho e operação de luz: Pati Morim Lobato. Trilha sonora: Kelly Martins. Operação de som: Tomé de Souza. Direção de produção: Ricardo Grassone e Heitor Garcia. Produção executiva: Gabriela Gama. Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação. Realização e produção: NOSSO Cultural.

Serviço

Espetáculo: Somos Tão Jovens
Temporada: de 1º a 23 de junho/2019
Horários: sábados (às 21h) e domingos (às 19h)
Ingressos: R$ 30,00 (meia-entrada: R$ 15,00)
Bilheteria: 1h antes das sessões. Aceita dinheiro e cartão de débito.
Ingressos online: www.sampaingressos.com.br
Duração: 70 min. Gênero: Jovem / LGBTQ+. Indicação: 14 anos.

Teatro Décio de Almeida Prado 
Rua Lopes Neto, 206 - Itaim Bibi - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3079-3438. Capacidade: 186 lugares.

Siga: Instagram - @somostaojovensapeca