EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

sexta-feira, 29 de março de 2019

TEATRO | Apocalipse de um Diretor | 06/04 | MASP

‘Apocalipse de um diretor’ do Grupo Eco Teatral aborda as relações de tirania ao revelar os bastidores de uma estreia de Hamlet

Primeiro texto de Angela Ribeiro depois de ganhar o Prêmio Shell de 2018 na categoria de Dramaturgia, a peça foi escrita em colaboração com o diretor Thiago Franco Balieiro. Com dez atores no elenco e um trio de jazz ao vivo, “Apocalipse de um diretor” estreia dia 6 de abril, sábado, no auditório do MASP.



Na foto: o ator Romario Lopes - Foto: Allis Bezerra
 
Com o intuito de discutir relações hierárquicas e os abusos de poder, o diretor Thiago Franco Balieiro e a ganhadora do Prêmio Shell de Dramaturgia 2018 Angela Ribeiro, desenvolveram junto ao grupo Eco Teatral a peça APOCALIPSE DE UM DIRETOR. Os conflitos e angústias de um grupo de atores, uma assistente e um diretor no dia da estreia do seu mais recente espetáculo, Hamlet. A montagem fará sua primeira temporada no auditório do MASP, de 6 de abril a 26 de maio, com apresentações sábados, às 21h e domingos, às 19h30.
A peça inédita é a quarta produção independente do grupo Eco Teatral e traz no elenco Alexandre Menezes como Ator 3 e Laertes, Fernanda Assef como Atriz 3 e Ofélia, Gabriela Roibeiri como a assistente de direção, Gisa Araujo como a Primeira Atriz e Gertrudes, Gustavo Mereghi como Ator 1 e Hamlet, Lisandro Leite como Ator 2 e Rei Claudio, Marco Canonici como Ator e Polônio, Roberto Borenstein Ator 3, Romario Lopes como diretor e Zenaide Denardi como atriz stand-in. Um trio de jazz formado pelos músicos Alberto Eloy no trompete, Ana Guariglia no piano e Chico Ribas na bateria acompanha em tempo real os níveis de tenção de cada cena, interagindo a todo instante com o jogo cênico criado pelos atores.
 


Foto: Allis Bezerra



Uma projeção aparece no palco:

ATO I
CENA 1

Quem está aí?
Sou eu quem pergunta!
Alto e diz quem vem.
 
Após a projeção um foco de luz acende no palco, um baterista anuncia: "São Paulo, manhã da estreia. Lá fora, frio e chuva". A partir daí, as luzes se acendem e o jazz conduz a entrada dos atores no palco. Percebemos um clima de ansiedade em cada entrada, o Diretor interrompe a música e informa aos atores de uma maneira autoritária que alguma coisa ocorrida no dia anterior já foi resolvida e pede para todos se prepararem. Ao longo do ensaio as relações entre os atores e a direção vão se corroendo, instaurando uma atmosfera caótica. Os atores insatisfeitos com a situação nos revelam isso através dos "à parte" – um microfone no proscênio que serve como uma espécie de confessionário.
"A linha divisória entre ficção e realidade, e reforçadas pelo cenário, vão se diluindo e se misturando. Temos certa dificuldade para definir se as falas pronunciadas pelo elenco são deles ou dos personagens da peça Hamlet", explica Thiago Franco Balieiro.
A partir de dados biográficos e de histórias comuns vivenciadas por outros diretores, e pelos atores da peça, o espetáculo cria três camadas de realidade, a primeira sendo ocupada pelo diretor real, a segunda camada ocupada pelo diretor ficcional e os atores em uma sala de ensaio, e a terceira camada é a montagem de Hamlet, a peça que esses mesmos atores estão apresentando.
A encenação se apoia em várias expressões artísticas, tais como o teatro, dança, projeções de vídeo, música ao vivo, OFFs e performance.

SINOPSE
Um diretor real, um diretor ficcional e os atores. As crises, as memórias, as reflexões e obsessões de um/alguns artista(s) em colapso. AVISO! Dados biográficos estarão a serviço de uma ficção. Estamos estou mentindo, não é isso! Você: O que isso me importa? Eu: Nada. Tudo! Uma montagem de Hamlet que não deu certo / que pode dar certo / ao som de jazz, esse é o “Apocalipse de um Diretor”.

ECO TEATRAL
O grupo Eco Teatral foi fundado em 2012 dentro da Escola de Arte Dramática da USP pelo diretor Thiago Franco Balieiro, desde então, realizou três espetáculos em sua trajetória, as peças SALA DE ESPERA (2012), EDGAR (2014) e HOMO PATITUR (2017). A partir de 2015, o grupo se estabelece no bairro da Luz em São Paulo e começa a desenvolver seu trabalho de pesquisa focado no desenvolvimento técnico do intérprete, ministrando cursos de treinamento corporal, pesquisas vocais, Suzuki, danças Afro e os Diálogos Teatrais (projeções de peças teatrais contemporâneas seguida de debates). Depois de sua chegada no bairro da Luz o grupo estabelece parcerias com outros grupos da região e se integra ao Movimento de Teatros Independentes de São Paulo (MOTIN).


Foto : Allis Bezerra 


Ficha técnica
Apocalipse de um diretor
Dramaturgia: Angela Ribeiro e Thiago Franco Balieiro
Direção: Thiago Franco Balieiro
Assistente de Direção: Fernanda Borella
Elenco: Alexandre Menezes, Fernanda Assef, Gabriela Roibeiri, Gisa Araujo, Gustavo Mereghi, Lisandro Leite, Marco Canonici, Roberto Borenstein, Romario Lopes e Zenaide Denardi
Elenco (vídeo produtor): Fernanda Borella e João Mazini
Músicos: Alberto Eloy, Ana Guariglia e Chico Ribas
Iluminação: Felipe Tchaça
Assistente de Iluminação: Paula da Selva
Operação de Som: Fernanda Borella
Direção Audiovisual: Santiago Paestor, Vitor D'Angelo
Figurinos: Thiago Franco Balieiro
Costureira: Vera Luz Santos Araújo
Cenário: Thiago Franco Balieiro
Designer Gráfica: Angela Ribeiro
Produção: Eco Teatral
Assessoria de Impressa: Canal Aberto (Márcia Marques | Daniele Valério)

SERVIÇO
Estreia dia 6 de abril de 2019

Temporada até 26 de maio
Sábado, às 21h, e domingo, às 19h30.
MASP – Auditório. Av. Paulista, 1578 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01310-200. Telefone: (11) 3149-5959. (CHECAR FUNCIONAMENTO BILHETERIA E SITE PARA COMPRA ANTECIPADA)
Ingresso: R$ 50.
Duração: 120 min. Não recomendado para menores de 18 anos.
Capacidade: 374 lugares
Acesso a cadeirantes. Não tem estacionamento.

quinta-feira, 28 de março de 2019

Paula Lima, Thaíde, Drik Barbosa e Kamau no Sesc Vila Mariana nessa sexta

Foto Divulgação 

Fonte :Comunicação Sesc 



Show especial no Sesc Vila Mariana!
Como parte do projeto SP Território Black, o Sesc Vila Mariana recebe Paula LimaThaídeDrik Barbosa e Kamau no dia 29 de março, sexta-feira.

Juntos no palco, os artistas traçam um panorama da música negra na cidade de São Paulo, desde os bailes black da década de 70 até os encontros de hip hop dos dias atuais.

Classificação: 12 anos

29/03/2019 - 21:00

R$ 30,00 – inteira
R$ 15,00 – meia
R$ 9,00 - credencial plena

VENDA SOB CONSULTA. VALORES SUJEITOS A ALTERAÇÃO.
Pontos de venda
SESCS
Ingressos comprados online pelo site oficial podem ser retirados em qualquer unidade do Sesc São Paulo









PORQUE FUNK É COISA SÉRIA - SHOW DO QUARTETO SERIAL FUNKERS NO BOURBON STREET

Serial Funkers / Foto : Divulgação 



Vá dançar e se divertir muito, com essa banda que é sucesso total.
 
Um dos destaques do programa Superstar, da TV Globo, o Serial Funkers, considerado o “Quarteto do Groove”, recria sucessos de Stevie Wonder, Jamiroquai, James Brown, Michael Jackson, Prince, Seal, Black Eyed Peas, Tim Maia, entre outros, com uma animação incomparável
.
Couvert Artistico (por pessoa): R$ 65,00 ( antecipado ) e R$ 75,00 ( na porta )

Reservas Call Center : 11.5095.6100
(s/taxa de conveniência)
Reservas Online : http://bit.ly/SFUNKERS
(c/taxa de conveniência)

Abertura : 21:00h
ShowTime : 23:30h
R. dos Chanés, 127 Moema São Paulo SP   
 
11 5095 6100    11 97060 0113
 



Homenagem à Elis Regina



Fonte :Sampa Online 

O espetáculo em homenagem à Elis Regina levará ao palco a releitura de algumas músicas do imenso repertório da cantora, gravadas ao longo de sua carreira com a parceria de alguns compositores importantes como Tom Jobim, Gilberto Gil, Chico Buarque e Guilherme Arantes. Ed Brown, cantor e fã incondicional de Elis, preparou um show que além de emocionar irá, certamente, impactar os fãs desse grande nome da música, que sempre estão em busca de lançamentos, tributos e eventos que tragam Elis Regina de volta. Não se trata de um cover, mas sim de uma reinterpretação das canções de uma das mais importantes vozes da MPB, que ainda provoca saudades. A apresentação terá um formato dinâmico, com momentos de interação com a plateia em que histórias sobre a carreira da cantora e suas parcerias serão contadas.


Local: Teatro Eva Wilma (Leste)

Elenco/Direção: Músicos: Ed Brown (voz), Daniel Alves (bateria), Samuel Fratelli (guitarra e violão), Henrique Gomes (piano) e Celinho Santos (baixo).
Data: Dia 30 de Março (sábado). às 21h

Obs: Ingresso : R$ 50,00 / Site Sampa Online  : R$ 23,00


quarta-feira, 27 de março de 2019

Com integrantes da Vitória Régia, show marca tributo a Tim Maia

Banda do Síndico / Foto : Divulgação 

Formada por ex-integrantes da banda Vitória Régia, que acompanhou Tim Maia por 18 anos, a Banda do Síndico faz um show em tributo ao rei do soul brasileiro na sexta-feira, dia 29, às 22h, na Prada Eventos (Avenida Gisele Constantino, altura do número 30, em Votorantim). A abertura será às 20h, com discotecagem com o DJ Branca tocando black music, samba rock, pop latino e reggaeton.
O espetáculo é definido pela banda como “uma viagem no túnel do tempo”, com todo o repertório da obra de Tim Maia marcado por arranjos originais, “com os metais afinadíssimos como o mestre exigia”.
A banda é formada por Silvério Pontes (trompetista), Tinho Martins (sax e voz), Paulinho Black (bateria), Toca Delamare (teclados), Adriano Giffoni (baixo), Jeferson Victor (trompete), Nando Chagas (guitarra), Jhonson de Almeida (trombone) e Fabiano Segalote (trombone). Já o vocal é ocupado por Bruno Maia, que tem como característica o timbre aveludado, característico dos bailes charme do subúrbio do Rio de Janeiro.
Os ingressos custam entre R$ 40 (pista) e R$ 120 (setor azul) e podem ser adquiridos no site www.ingressorapido.com.br ou no Corte & Cia (rua Ilda do Amaral Cussiol, 55, Campolim).

segunda-feira, 25 de março de 2019

Trilogia do Esgotamento dá inicio com Hilda, da francesa Marie NDiaye

Cácia Goulart faz Trilogia do Esgotamento e reencena HildaBartleby e A Morte de Ivan Ilitch

Trilogia do Esgotamento leva aos palcos Hilda, que tem texto da francesa Marie NDiaye, Bartleby, de Herman Melville e A Morte de Ivan Ilitch, de Tolstói.

HILDA - Fotos Caca Bernardes (5)
Figura 1 Em cena os atores Zé Geraldo Jr e Cácia Goulart Foto: Cacá Bernardes
Fonte : Canal Aberto / Fotos : Caca Bernardes  
Hilda é a grande presença ausente da cena; ela não aparece, tudo o que soubermos de Hilda será dito pelos outros

O espetáculo Hilda, com direção de Roberto Áudio e Cácia Goulart, Zé Geraldo Jr e Beatrix Oliva no elenco, faz duas temporadas de apresentações gratuitas, de março a abril, nos teatros Cacilda Becker (29/03 a 14/04) e Alfredo Mesquita (19 a 21/04), respectivamente.

Hilda faz parte do Projeto Trilogia do Esgotamento contemplado pelo Prêmio Zé Renato 2018 que circulará gratuitamente por alguns espaços públicos da cidade de São Paulo em 2019, além de dois outros espetáculos consagrados do Núcleo Caixa Preta: Bartlebyde Herman Melville, adaptado pelo espanhol José Sanchis Sinisterra; e A Morte de Ivan Ilitchde Tolstói, adaptado por Cácia Goulart e Edmilson Cordeiro.



Com dois romances vigorosos publicados no Brasil, a premiada escritora francesa Marie NDiaye ganhou encenação inédita de Hilda no Brasil em abril de 2018, no Centro Cultural São Paulo com o apoio do Edital PROAC 01/2017 de espetáculos inéditos da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Primeira peça da autora, a montagem do Núcleo Caixa Preta de Teatro tem tradução de Bibianne Riveros e direção de Roberto Audio, e traz no elenco Cácia Goulart (três vezes indicada ao Prêmio Shell/SP de melhor atriz), Zé Geraldo Jr. e Beatriz Oliva.



Marie NDiaye, consagrada com os prêmios Femina, em 2001, e Goncourt, em 2009, é um dos nomes mais aclamados da literatura francesa contemporânea. Conhecida pelo trabalho primoroso com a palavra em seus romances, conduzindo uma narrativa em que o mais importante e aterrador se mostra nas lacunas do discurso das personagens, no teatro a sua escrita é igualmente vigorosa, problematizando a indigência da condição humana.

Hilda aborda o drama da vida privada e suas afetações burguesas no nível da mais franca histeria, fazendo surgir no palco um tagarelar incessante da mais pura neurose, através de Madame Lemarchand, interpretada por Cácia Goulart. Na trama, a mulher rica e ociosa, que delega aos outros a própria vida, decide por puro capricho que quer ter Hilda como empregada. Tanto ela quer e tanto ela pode, que sequer precisa consultar Hilda, bastando que o marido desta (Frank, interpretado por Zé Geraldo Jr.) “feche negócio” com a patroa, praticamente leiloando a esposa. Ter Hilda passa a ser a principal ocupação da madame, e a apropriação vai se fazendo cada vez mais intrusiva, até ela decidir que nem o marido nem os filhos de Hilda poderão vê-la mais; ela mesma, madame, dará banho em Hilda, vestirá Hilda, cortará os cabelos de Hilda, alugará Hilda aos amigos, emprestará Hilda ao marido… O vampirismo estarrecedor de Lemarchand não dá margem sequer para que a personagem da empregada apareça em cena; embora tendo o nome obsessivamente repetido ao longo da peça, tudo o que soubermos de Hilda será dito pelos outros.



“À primeira vista é uma relação de poder entre a empregada e a patroa, mas o que o texto revela é, na verdade, a impotência dessa mulher aparentemente tão poderosa. Ela não tem vida própria, e por isso precisa se apropriar da vida dos outros”, diz Cácia Goulart, que revela ter ficado chocada com a primeira leitura do texto. “Acho que essa incapacidade de ser dessa mulher acaba não permitindo que outros sejam também”.

De fato, na peça, o poder de Madame Lemarchand se efetiva em todas as suas dimensões, desde as mais mesquinhas e caprichosas. Em contrapartida, mais dependente ela se torna, incapaz de saber o que fazer de si mesma. Talvez por isso é que ela lamenta, melancólica: “Não podemos fazer nada do fato de Hilda ser ela mesma, Frank”. Como se, apesar de totalmente sujeitada a esse poder devastador da patroa, o mero fato de ser “o outro” é algo que ninguém pode nos tirar, mesmo que nos destrua. Por isso, no exercício infame desse poder, Madame Lemarchand estará condenada a uma falsificação do real, condenada a uma personalidade mimética – que procura fora de si o que a sua própria indigência subjetiva não pode lhe dar.



Mas é precisamente essa falsificação do real que se dá através do discurso de Lemarchand o que faz o espetáculo atingir momentos de um humor mordaz. A dissonância tagarela entre o que é dito e a precária representação que a madame tem de si mesma resulta na exposição de uma doença social que só o riso cortante é capaz de denunciar.

SINOPSE
A partir da contratação de Hilda como empregada doméstica, patroa e marido da contratada, iniciam uma negociação permeada por um humor mordaz, onde as relações de subordinação sociais e afetivas são levadas ao limite do delírio e da loucura.

MARIE NDIAYE
Aclamada em 2009 com o Prêmio Goncourt pelo romance Três mulheres Fortes e o Prêmio Femina em 2001, com Rosie Carpe, mas seu romance mais conhecido no Brasil é Coração Apertado. NDiaye já se consolidou como um dos grandes nomes da literatura contemporânea francesa.   Hoje, ela conta com uma dezena de romances e coletâneas de contos, peças de teatro, histórias infantis e a coautoria do roteiro de White Material, último filme de Claire Denis, estrelado por Isabelle Huppert.



NÚCLEO CAIXA PRETA - HISTÓRICO
Hilda, de Marie NDiaye (2018): Indicação ao Prêmio Aplauso Brasil 2018 de Melhor atriz CÁCIA GOULART e melhor espetáculo de grupo: NÚCLEO CAIXA PRETA
A Morte de Ivan Ilitch, de Tolstói (2013) teve duas indicações ao Prêmio Shell de 2013 em SP: melhor atriz para Cácia Goulart e melhor iluminação para Lúcia Chedieck.
O Abajur Lilás ou uma Medeia Perdida na Augusta?, a partir das obras de Plínio Marcos e do mito de Medeia (2013).
Menina Nina, Duas Razões para não Chorar, de Ziraldo (2011), adaptado por Elzemann Neves, Vadim Nikitim e Daniela Thomas, a partir do livro homônimo de Ziraldo.
Dissidente, de Michel Vinaver (2010), obra do dramaturgo francês Michel Vinaver, sob direção de Miriam Rinaldi.
O Funâmbulo, de Jean Genet (2009), poema-ensaio de Jean Genet.
Bartleby, de Herman Melville, adaptação de José Sanchis Sinisterra (2008), teve duas Indicações ao Prêmio Shell 2008 em SP: melhor atriz para Cácia Goulart e melhor cenário para André Cortez.
Navalha Na Carne, de Plínio Marcos (2003), teve indicação ao Prêmio Shell 2003 em SP de melhor atriz para Cácia Goulart.
Quando As Máquinas Param, de Plínio Marcos (2001), com Cácia Goulart e Edmilson Cordeiro no elenco e dirigido por Joaquim Goulart.
Cegonha, Avião... Mentira, Não! de Yves Vedrenne (1999), adaptado e dirigido por Joaquim Goulart, a partir de texto do educador francês Yves Vedrenne.
Medeia é um Bom Rapaz, de Luis Riaza (1999), com texto do espanhol Luis Riaza, dirigida por Marco Antonio Braz.

FICHA TÉCNICA
Dramaturga: MARIE NDIAYE
Direção: ROBERTO AUDIO
Tradução: BIBIANNE RIVEROS
Atores: CÁCIA GOULART, ZÉ GERALDO JR. e BEATRIX OLIVA
Iluminação: LÚCIA CHEDIECK
Música original: MARCELO PELLEGRINI
Cenário e figurinos: ROSÂNGELA RIBEIRO
Preparador de atores: ALEXANDRA DA MATTA
Fotografia: CACÁ BERNARDES
Vídeo: BRUNA LESSA/BRUTA FLOR FILMES
Designer Gráfico: OSVALDO PIVA
Idealização e Direção de produção: CÁCIA GOULART-
Realização: NÚCLEO CAIXA PRETA da Cooperativa Paulista de Teatro

Serviço HILDA
Duração: 100 minutos | Faixa etária indicativa: 14 anos
GRATUITO *retirar 1h antes do espetáculo

De 29 de março a 14 de abril de 2019
Sexta e sábado, às 21h e domingo, às 19h
Teatro Cacilda Becker |Rua Tito, 295 - Vila Romana/Lapa
Telefone: (11) 3864-4513

19 a 21 de abril de 2019
Sexta e sábado, às 21h, domingo, às 19h
Teatro Alfredo Mesquita| Avenida Santos Dumont, 1770 (Santana)
Telefone: (11) 2221-3657

Para entrevistas, fotos e outras informações:
Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Márcia Marques | Daniele Valério
Fones: 11 2914 0770 Celular: 11 9 9126 0425 (Márcia) | (11) 9 8435 6614 (Daniele)


Festival Internacional de Circo agita São Paulo em Abril

Pedra no Sapato / Foto :Fabiana Junior 


Fonte : André Moretti 


Festival Internacional de Circo reúne artistas brasileiros e estrangeiros em São Paulo

O evento, gratuito, ocorre entre os dias 03 e 07 de abril
 no Centro Esportivo Tietê, com extensão em outras regiões da capital

Respeitável público, a Cidade do Circo está de volta! Em abril, é realizada a segunda edição do FIC – Festival Internacional de Circo, evento promovido pela Associação dos Amigos do Centro de Memória do Circo com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura. Artistas de várias partes do mundo invadem a capital paulista para apresentarem espetáculos com malabarismos, mágicas, contorcionismos, acrobacias e muita palhaçada. Anotem na agenda: o evento se estende entre os dias 03 e 07 de abril na Cidade do Circo, um complexo montado no Centro Esportivo Tietê, que recebe artistas diversos se apresentando em três lonas de circo, estação para acrobacias, trapézio e palco externo.

A programação deste ano tem como inspiração o tema “O Circo falando com a cidade”, e traz aproximadamente 50 espetáculos e mais de 100 atrações para divertirem o público. Há participantes de diversos países e estados brasileiros, entre eles as companhias Duo Looky (Israel), H2O Boom (Uruguai), Laguz Circo (CE) e Cia. dos Palhaços (PR).

A noite de abertura será marcada pelo espetáculo As Destemidas, concebido e realizado somente por artistas mulheres. A apresentação celebra as três homenageadas desta edição do FIC: Andrea Macera (Palhaça Mafalda), Beth Dorgam (Palhaça Elisabeth The Queen) e Lu Lopes (Palhaça Rubra). Elas foram escolhidas por conta de suas histórias na arte da palhaçaria e por representarem as mulheres artistas de circo.

Os destaques da programação serão espetáculos desenvolvidos em residências artísticas, que abordam temas da diversidade cultural. Retomando o sentido universalista do circo, que sempre abrigou as diferentes nacionalidades e toda a variedade social que encontrava, cada espetáculo homenageia uma temática específica. Assim, além da abertura feita por artistas mulheres, dirigidas por Luciana Donegá, os temas abordados trazem sempre circenses que os representem.

Diversos diretores foram convidados para desenvolverem esses espetáculos. Prot(agô)nistas - O Movimento Negro no Picadeiro, dirigido por Ricardo Rodrigues, mostra que a lona está fincada para receber apenas protagonistas negros. Já Queerbaret, com direção de Luh Maza, representa, pelos números circenses que traz, toda a diversidade das questões de gênero e orientação sexual. Dirigido por Mark Bromilow, Caravançara – O Lar dos Viajantes reúne as atrações internacionais do FIC para abordar a temática dos refugiados. Obstáculos, com direção de Caco Mattos, coloca em cena artistas, com deficiência ou não, para tratarem de como os obstáculos surgem e são enfrentados na vida. O encontro de gerações, incluindo o choque entre o circo contemporâneo e o tradicional, é celebrado em Tributo à Tradição!, dirigido por Jairo Mattos. Inéditos, esses experimentos trarão para a cena artistas múltiplos, de nacionalidades diversas, mostrando que, no circo, não há fronteiras para o amor.

Muitas atividades são realizadas na Cidade do Circo do lado de fora das lonas. No Espaço Intrépida, números aéreos, de cama elástica e de acrobacias têm apresentações a cada 20 minutos. O Espaço Breno Moroni traz muitas atrações de espetáculos de circo criados para espaços abertos. O Espaço Tapete Mágico é uma Praça do Chapéu e traz espetáculos do movimento de artistas de rua para divertirem o público. Também haverá desfiles de artistas pelas ruas da Cidade do Circo, com apresentações curtas de malabares, pernas de pau, pirofagia e mágicos.

O Festival também contará com uma Mostra Competitiva, na qual 16 artistas/companhias apresentarão suas habilidades em duas eliminatórias seletivas, em que serão escolhidos os participantes da Grande Final. Eles concorrerão a prêmios que totalizam R$ 16.700,00. Jurados especialistas elegerão os melhores, mas o público também poderá escolher seus preferidos pela categoria Voto Popular, com premiação em dinheiro.

O Circo além dos picadeiros
Além da Cidade do Circo, o FIC 2019 quebra fronteiras e conquista as ruas de outras regiões de São Paulo, levando aos bairros da periferia espetáculos divertidos. A programação dos palcos volantes pode ser acessada no site www.prefeitura.sp.gov.br/cultura, ou pelas redes sociais https://www.facebook.com/FIC-Festival-Internacional-de-Circo-da-Cidade-de-São-Paulo-741677622622950 e https://instagram.com/ficfestivaldecircosp.




SERVIÇO
O quê: FIC - Festival Internacional de Circo - 2019
Onde: Centro Esportivo Tietê – Avenida Santos Dumont, 843 – Estação de Metrô Armênia
Quando: 03 a 07 de abril
Quanto: Grátis / Acesso livre para a Cidade do Circo - Os ingressos são distribuídos 01h antes de cada espetáculo
Para quem: Crianças de 0 a 200 anos são bem-vindas!
Lotação: Lona Abracadabra: 500 pessoas // Lona Irmãos Fratelli: 375 pessoas // Lona Manhas e Manias: 243 pessoas // Espaço Intrépida: 800 pessoas // Espaço Tapete Mágico: 500 pessoas // Espaço Breno Maroni: 600 pessoas

+ A Cidade do Circo tem acessibilidade para cadeirantes e conta com infraestrutura de banheiros, alimentação, segurança e ambulâncias.

Venha de transporte público: O Centro Esportivo Tietê fica a apenas 300 metros da Estação de Metrô Armênia e conta com 11 linhas de ônibus que saem de diversos pontos. Busque sua linha no sitewww.sptrans.com.br


Confira a Programação do FIC - Festival Internacional de Circo - 2019

PROGRAMAÇÃO CIDADE DO CIRCO
DIA 03/04


As mulheres se encontram em uma noite em que sua arte é o holofote, se desfazendo das amarras e agraciando o palco com suas habilidades e o ser mulher. Essa Abertura do FIC 2019 - Festival Internacional de Circo da Cidade de São Paulo, é uma apresentação especial que celebra também três homenageadas do ano: Andrea Macera (Palhaça Mafalda), Beth Dorgam (Palhaça Elisabeth The Queen) e Lu Lopes (Palhaça Rubra), pela importância e qualidade artística de sua trajetória e pelo que representam para as mulheres artistas de Circo. Malabares, narizes e refletores apostos para revelar o que uma mulher pode ser de verdade. Que o encantamento se faça e a mulher renasça nas suas diversas formas, forças e gestos. Duração: 80 minutos / Indicação: Livre - O espetáculo tem tradutor de Libras


DIA 04/04
- 10H - LONA IRMÃOS FRATELLI - Espetáculo Variedades Trupianas - Cia. Essa Trupe (São Paulo - SP)
Essa Trupe é um grupo formado por Circenses que através de encontros descobriu a mesma disposição de várias linguagens. Recheado de números circenses, o espetáculo traz à cena monociclo, tecido, parada de mão, skyrunner, lira, trapézio e muita palhaçada. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 14H - LONA IRMÃOS FRATELLI - Espetáculo Variedades Trupianas - Cia. Essa Trupe (São Paulo - SP)
Essa Trupe é um grupo formado por Circenses que através de encontros descobriu a mesma disposição de várias linguagens. Recheado de números circenses, o espetáculo traz à cena monociclo, tecido, parada de mão, skyrunner, lira, trapézio e muita palhaçada. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 20H15 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Animo Festas – Palhaço Klaus (São José dos Campos – SP) 


Animo Festas é o show do palhaço Klaus que nos narra seu submundo decadente como um animador de festas infantis. Ao som de rock, música francesa e canções infantis dos anos 1980, o espetáculo desnuda a máscara do palhaço com humor ácido e sarcasmo, colocando no centro do picadeiro uma pessoa que está à margem da sociedade, em seu embate pessoal entre a fidelidade à arte que se propõe e a necessidade financeira de se ajustar ao mercado. Duração: 51 minutos / Indicação: 18 anos

- 20H30 – LONA ABRACADABRA - Mostra Competitiva – Seletiva
Artistas de diversos países competem a prêmios de R$ 16.700,00. Nesta seletiva, o público poderá se impressionar com a destreza e capacidade de manipulação de malabaristas, mágicos e acróbatas. Jurados especialistas elegerão os melhores, mas o público também poderá escolher seus preferidos pela categoria Voto Popular. Duração: 80 minutos / Indicação: 18 anos


DIA 05/04
- 20H15 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Pontos de Vista de um Palhaço – Daniel Warren (São Paulo – SP) 




Um palhaço em crise busca ajuda em uma sessão de terapia em grupo. Este é o ponto de partida do monólogo, baseado no romance homônimo do escritor e dramaturgo alemão Heinrich Böll. O espetáculo nos revela a cegueira moral e a indiferença humana diante de uma sociedade orientada ao materialismo. Hans, o palhaço do título, está desiludido com o amor e com a carreira, e passa por um processo onde a figura de seu palhaço transborda a arte e ganha a vida, observando-a de seu ponto de vista peculiar. Duração: 75 minutos / Indicação: 12 anos

- 20H30 – LONA ABRACADABRA - Mostra Competitiva – Seletiva
Artistas de diversos países competem a prêmios de R$ 16.700,00. Nesta seletiva, o público poderá se impressionar com a destreza e capacidade de manipulação de malabaristas, mágicos e acróbatas. Jurados especialistas elegerão os melhores, mas o público também poderá escolher seus preferidos pela categoria Voto Popular. Duração: 80 minutos / Indicação: 18 anos

- 21H – LONA IRMÃOS FRATELLI – Destaque - Espetáculo Queerbaret – Diversos Artistas
O circo e seu universalismo, que sempre abrigaram a diversidade ao longo da história, têm nesta edição do FIC um espetáculo construído especialmente com esse tema e artistas que o representam. Nessa noite o picadeiro recebe artistas de diferentes identidades de gênero e orientações sexuais em uma mostra de arte e representatividade, com números aéreos, acrobacias, malabarismos, palhaços, ilusionismo e muita música. O título Queerbaret indica a festa em torno de uma importante temática contemporânea. Queer: termo inglês usado para designar pessoas que são marginalizadas pela sociedade por não seguirem o padrão da heterossexualidade ou do binarismo de gênero, como gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. Duração: 80 minutos / Indicação: 16 anos

Fábrica de Brinquedos / Foto : Ligiane Braga 



DIA 06/04
- 10H30 – LONA IRMÃOS FRATELLI - Espetáculo Fábrica De Brinquedos - Cia LaMala (São Paulo - Brasil) 



Através de técnicas circenses e do teatro físico a Cia Lamala cria o ambiente de um laboratório, onde são criados brinquedos e mecanismos que os animam. Um inventor maluco, seus brinquedos inusitados e uma boneca que tem vida, e surpreende até mesmo seu criador, todos interagindo de maneira lúdica e proporcionando uma deliciosa e mágica visita ao imaginário infantil. Duração: 45 minutos / Indicação: Livre

11H – LONA ABRACADABRA – Espetáculo La Gran Arena – Grupo Arena Circus (Brasil-Argentina) - https://youtu.be/pyI_kVTJ59w
A arte circense é uma das mais antigas da história da humanidade e este espetáculo mostra a importância do resgate dos valores desta tradição. O Show “GRAN ARENA” é inspirado nos anos 40, e conta a história do Circo com o olhar de uma surpreendente integrante do espetáculo. O espetáculo inicia com um cortejo com os artistas e a fanfarra de músicos no qual o elenco convida o público para assistirem ao Gran Arena Circus recém instalado na cidade. Duração: 60 minutos / Indicação: Livre

- 11H30 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Os Mequetrefe – Parlapatões (São Paulo - SP) - https://youtu.be/H3B1tIbk1TA
Em Os Mequetrefe, quatro palhaços vivem a jornada de um longo e divertido dia. Do despertar à hora de ir dormir, revelam como a desconstrução da lógica cotidiana pode abrir espaço para outras maneiras de encarar a vida. Vivendo situações bem comuns esses cidadãos nada comuns provocam uma série de confusões tão hilárias quanto poéticas. Da maneira como acordam, passando pelo jeito como se vestem para ir trabalhar, eles encaram essa aventura através do dia de maneira cômica. Duração: 60 minutos / Indicação: Livre

- 11H40 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cadeira Aérea - Priscila Cereda

- 12H – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Amanda Yamada

- 12H20 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Lira - Marina Soveral

- 12H30 – ESPAÇO BRENO MORONI – Espetáculo Jujuba La Luchadora X Chicote La Muerte - Palhaça Jujuba & Chicote (São Paulo - SP) - https://youtu.be/9fYUUdTr9eY
Jujuba é uma viajante solitária indo para uma festa no Peru, Chicote é um fiscal de fronteira recém empossado, ambos se encontram em uma fronteira inesperada bem no meio do Caminho do Peabiru, um caminho ancestral que corta a América do Sul em direção ao Sol. Em algum lugar dessa estrada, onde nada pode, nem aqui, nem ali, nem lá, muito menos acolá, a única forma de acabar com tantas proibições é enfrentar um duelo contra a morte. Duração: 45 minutos / Indicação: Livre

- 13H40 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Tecido Gota - Giuliana Soveral

- 14H – LONA IRMÃOS FRATELLI - Espetáculo Umbilical – Cia LaClass (São Paulo - SP)
Aqui entra em cena um espetáculo cômico de mágica e equilíbrio, que traz à cena uma pequena história de uma atriz circense. A partir do teatro físico e da comicidade, a artista Daniela Rocha Rosa constrói uma ficção simbólica de seus conflitos internos como atriz. A relação umbilical da oprimida, figurada pela camareira e da opressora, representada pela sua grande autoridade: a “Diva”. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 14H – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Tamara Portis

- 14H – ESPAÇO TAPETE MÁGICO - Espetáculo Será que Funúncia? – Trupe do Fuxico (São José dos Campos – SP)
Neste espetáculo são exploradas diversas releituras de números clássicos que vemos no circo de lona, entre eles o número de música com objetos inusitados, acrobacias. E todos envolvendo o público de todas as idades desde a criança até a vovó. O desafio da artista é trazer a figura feminina, a Palhaça, tornando ao público, crianças e vovós algo natural, a mulher, que também é capaz de fazer rir, pois temos como rotineiro a figura do palhaço. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 14H30 - ESPAÇO BRENO MORONI – Espetáculo Irmãos Carreto - Trupe Dunavô (São Paulo - SP)
Dois irmãos diante de um grande dilema deixado pelo pai no momento da partilha da herança da família. Duas personalidades muito distintas e um grande desafio: afinal, quem estaria pronto para se tornar o novo dono do Carreto que pertencera ao pai durante anos? Quem merece ficar com o Carreto? Claudius alega ser o mais habilidoso. Clóvis aposta em sua força. Os dois irmãos irão travar um verdadeiro duelo de titãs para decidir. Em meio a uma divertida disputa, esses dois palhaços irão dar um show de habilidades e trapalhadas. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 14H30 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Gran Circo Stopim – Cia dos Palhaços (Curitiba - PR) - https://youtu.be/vgekN1X6oHE
O espetáculo faz uma homenagem aos grandes circos que já existiram, reunindo acrobatas, malabaristas, domadores, mágicos, poodles amestrados, bailarinas, homem-bala, músicos e apresentadores, todos interpretados por apenas três palhaços: Sarrafo, Tinoca e Wilson. Um grande espetáculo de circo, ou melhor, uma grande brincadeira de circo com interação da plateia do início ao fim. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 14H35 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Hanna Hanna – Frupo Rué La Companhia (São Paulo – SP)
O Palhaço Zóim resolveu se aventurar nas Índias Místicas do Oriente onde encontrou o seu Guru Rhalhabundanua. Na volta, ele e seu parceiro Palhaço Tóin-Tóin demonstram para o público as novas habilidades místicas do Zóim. Duração: minutos: 20 minutos / Indicação: Livre


Mar Sem Beira / Foto : Isabela Borghese


- 15H – LONA ABRACADABRA – Espetáculo Mar Sem Beira - Cia. Nós No Bambu (Brasília - DF)
Mar sem Beira conta a história de dois seres diferentes entre si, cada um em uma viagem singular. Em tempos de extremismos e conflitos territoriais, o espetáculo traz à cena indivíduos livres, que navegam sem fronteiras e levam em seus alforges as experiências e recordações de várias terras, que os tornam seres etnicamente híbridos. O espetáculo celebra a possibilidade de vencer as fronteiras para encontrar, no diferente, a semelhança que une. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

15H10 - ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Circo Do Céu Aberto - Palhaço Pichuruca - (São Paulo - SP)
"O Circo do Céu Aberto" é um espetáculo que mostra um Palhaço sem lona e que no seu universo o espetáculo não pode parar!! Então começa a convidar as pessoas a participarem do "O Circo do Céu Aberto". Com habilidade de alguém que conhece muito bem o Circo, o artista faz números de Magia, Monociclo, Rola Rola e Ventriloquia. Duração: minutos: 20 minutos / Indicação: Livre

- 15H40 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cama-Elástica - Felipe Gaby, Gabriel Marchini, Felipe Oliveira

- 15H50 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cadeira Aérea - Priscila Cereda

- 15H55 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Soniquete – Sara Peper (Argentina)
A partir de uma composição poética, teatral e autoral, nasce uma proposta cômica, que tem como centro a relação da artista com uma caixa musical de madeira que servirá de base para acrobacias e contorções, malabares com claves, e diferentes elementos musicais como clarinete, guizos e sinos. Duração: 25 minutos / Indicação: Livre

- 16H - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número Acrobático - Wallace Kioski, Roberto Salles, Felipe Oliveira, Iago Richard, Joy Domingoz, Marília Mattos Oliveira

- 16H20 – ESPAÇO BRENO MORONI – Espetáculo Besouro Mutante - Grupo Namakaca (São Paulo - SP)
Dois vendedores charlatões rodam o mundo divulgando seu incrível produto, o Elixixir Besouro Mutante, uma bebida milagrosa capaz de resolver todos os males, físicos e psíquicos. Capaz de curar todas as mazelas que acometem a humanidade a séculos. Estes dois caixeiros viajantes contemporâneos usam suas habilidades circenses para convencer a plateia dos poderes de seu produto. Durante a demonstração tudo pode acontecer, até a transformação dos próprios espectadores, que descobrirão habilidades que nem imaginavam ter. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 16H30 – LONA IRMÃOS FRATELLI – Espetáculo Estação Devaneios – Cia. Diálogos Acrobáticos (São Bernardo - SP) - https://youtu.be/8YZAYEEw-u4
Um jornaleiro fantasioso e solitário, trabalha no cotidiano de uma estação perdida no tempo, entre os muitos personagens que ali transitam, em suas ações repetidas do dia a dia, o jornaleiro através de seus devaneios, recria as estórias destes personagens, de maneira única e fabulosa. Com números circenses, aéreos, equilíbrio, malabarismo e manipulação de objetos, o espetáculo transforma ações e objetos rotineiros em estórias sensacionais e irreverentes. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 16H30 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo The Eccentric Show - Guga Morales e Manu Montes (Rio De Janeiro - RJ)
Amor, genialidade e comicidade compõe o Espetáculo  ́ ́The Eccentric Show ́ ́, Um casal gentleman que fazem truques de equilíbrio, malabares e mágica relembrando os tempos vintage do circo. De modo incomum, e extravagante a dupla encontra harmonia entre objetos do nosso cotidiano para formar números de máximo equilíbrio. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

-17H – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Cabeça de Nego – João Carlos Artigos (Rio de Janeiro – RJ)
Cabeça de Nego é um espetáculo-brinquedo. É uma performance com base no jogo que utiliza habilidades circenses como pretexto para produzir um tempo espaço de jogo teatral sutil capaz de criar as condições sensíveis de cumplicidade, identificação, pertencimento e desejo coletivo para fazer fluir provocações às humanidades. Duração: 60 minutos / Indicação: 12 anos 

- 17H05 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo A Louca das Frutas – Painé Santamaria (Argentina)
Esta personagem latina traz ritmos dançantes, frutas saborosas e o clima tropical com ela, nos apresenta suas habilidades promovendo uma verdadeira salada de frutas aos presentes. Malabarismo com limões, maças são caçadas com garfos e tem equilíbrio de abacaxis com facas. A Louca das Frutas traz um verdadeiro espetáculo com músicas que remetem ao paraíso frutal. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 17H40 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Estação Central – Cia Musicircus (São Paulo – SP)
Enquanto Rafé caminha rumo à estação para tomar o trem, sofre alguns imprevistos que o leva a mudar de planos. Para passar a angústia e o tempo, ele se distrai fazendo “manobras” improvisando com seus objetos de viagem, além de dançar com suas inquietudes corporais provocadas pela ansiedade.  Ao fazer malabarismo, pantomima e beat box, o artista acaba envolvendo outras pessoas da estação em seu universo interativo, musical e experimental, cheio de possibilidades e surpresas para toda a família. Duração: minutos: 20 minutos / Indicação: Livre

- 17H20 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cama-Elástica - Felipe Oliveira, Felipe Gaby, Gabriel Marchini

- 17H40 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Lira - Marina Soveral

- 17H50 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Tecido Gota - Giuliana Soveral

- 18H – LONA ABRACADABRA – Destaque Espetáculo Caravançará - O Lar dos Viajantes – Diversos Artistas
Este espetáculo concebido especialmente para o FIC faz uma homenagem aos refugiados, pessoas que largam seus países e suas origens atrás de proteção e assistência. Em baixo da fictícia lona do Caravaçará, circenses e músicos de diversas partes do mundo compartilham através da arte, histórias daqueles que viajam. Alguns viajam por escolha própria ... outros por necessidade, já que não reconhecem como lar seus países de origem. Eles fazem dessa caravana suas casas. Eles uniram-se para celebrar a multiplicidade da cultura e o significado de tornar um lar onde quer que estejam. Duração: 70 minutos / Indicação: Livre

- 18H - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número Acrobático - Wallace Kioski, Felipe Gaby, Roberto Salles, Felipe Oliveira, Joy Domingoz

- 18H15 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo A Motoqueira – Geisa Helena / Aline Hernandes - Trupe Koskowisck (Sorocaba - SP)
A palhaça Chiquita se transforme numa motoqueira e pela primeira vez, no festival, apresenta seu número de Globo da Morte! Além dela, a palhaça Rufina traz muitas habilidades e mistérios, nessa tarde divertida. Preparem seus corações, pois essa dupla pretende tirar muitas risadas nesse divertido varietè. Duração: minutos: 20 minutos / Indicação: Livre

- 18H20 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cadeira Aérea - Prisicla Cereda

- 18H40 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Amanda Yamada 

- 18H50 - ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Malabarismo Consciente – MenDiva (São Roque - Brasil)
MenDiva é uma palhaça inspirada em moradoras de rua, quiçá uma bufa; acredita ser uma diva, mas tudo que ela possui são alguns sacos e sacolas, seu cantarolar e muita inventividade. Faz troca de roupa entrando em um grande saco de lixo, joga malabarismos com sacolas, e cria a partir delas adivinhações num trocadilho com o público, surgindo dessa interação situações inusitadas e divertidas. Duração: 20 minutos / Indicação: 12 anos

- 19H - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cama-Elástica - Felipe Oliveira, Gabriel Marchini, Felipe Gaby

- 19H20 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Tamara Portis

- 19h25 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Mais Uma Chance – Matias Danoso/Cia. Duna (Brasil e Chile)
A cada espetáculo há mais de uma chance de se conectar com a plateia, como num grande abraço. Mati, sozinho em cena, aproxima-se do público, sincronizando as vibrações, surgindo assim a energia do espetáculo e a magia do encontro. Tentativas, erros, improvisos e destrezas fazem parte de cada jornada. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 19H40 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número Acrobático - Wallace Kioski, Felipe Gaby, Roberto Salles, Felipe Oliveira, Joy Domingoz

- 19H50 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Amanda Yamada

- 20H – LONA IRMÃOS FRATELLI – Espetáculo Carta Branca – Cia. Do Relativo (São Paulo - SP)
Em uma sala de uma só parede, quatro artistas de circo se encontram para ocupar o vazio e transformá-lo constantemente: São bancos, bolas e tábuas de madeira que, através de manipulações, voam pelos ares e deslizam pelo chão, invadindo o espaço e criando em cada momento um novo cenário de jogo. Com acrobacia, dança, malabarismo e música ao vivo, esses companheiros não medem esforços para compartilhar seus sonhos e cumprir seu dever: Entreter o público! Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 20H – ESPAÇO BRENO MORONI – Espetáculo As Bunytas Do Rádio - Lyndas do DRT (São Paulo - SP)
O espetáculo leva o público a uma viagem aos anos de ouro da Era do Rádio. As atrizes e cantoras drags Jhenny, Mercedez Vulcão e Thelores tratam das nuances do amor embaladas por músicas eternizadas por grandes divas do período: Enezita Barroso, Dalva de Oliveira, Dolores Duran, Irmãs Galvão e outras. As cenas são inspiradas nas radionovelas que culminam em um grande programa de auditório ao vivo, com a participação do público na evolução das cenas. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 20H15 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Fuera! – Letícia Vetrano (Argentina) - https://youtu.be/URT_aY8sTXo
Desde a morte de seus pais, María Peligro age como se nada tivesse acontecido. Perpetuando os gestos de sua vida cotidiana, ele ocupa os dias com a ilusão de preservar o que se foi. Hoje é o dia do seu aniversário, e María Peligro acorda determinada a mudar, deixando escapar seus desejos mais profundos. Assim, com um êxtase oculto e desconhecido, ela transformará sua triste história num delírio terrivelmente divertido. Duração: 55 minutos / Indicação: Livre

- 20H30 – LONA ABRACADABRA - Mostra Competitiva - Final
Chegou o Grande Dia! Quem será que vai vencer?! Venha conhecer quem será o escolhido pelo Grande Júri, ou eleger o seu predileto através do Voto Popular. Nesta noite só estarão em cena os melhores, escolhidos em duas seletivas, todos concorrendo a prêmios de R$ 16.700,00. Venha se impressionar com a destreza e capacidade de manipulação de malabaristas, mágicos e acróbatas. Duração: 80 minutos / Indicação: Livre



DIA 07/04
- 10H30 – LONA IRMÃOS FRATELLI - Espetáculo Amor com Risco – Cia Pensante (São Paulo – SP) - https://youtu.be/QDirtGH41HE
Este espetáculo segue uma linha clássica e tradicional circense com um toque moderno, levando à cena periculosidade, charme e comicidade. Daniel Wolf e Estrela Rigoletto artistas tradicionais circenses da nova era, conduzem uma divertida e arriscada experiência com magicas, ilusões, habilidades malabaristas, dança, lançamentos de facas reais e muito humor. Duração: 45 minutos / Indicação: Livre

- 11H - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Isadora Faro

- 11H – LONA ABRACADABRA - Espetáculo Retratos Do Celeiro - Cia. Armárias e Trupe Baião De 2 (São Paulo – SP)
Este espetáculo traz para a cena a união de duas companhias, e leva ao público a conexão do encontro de corpos, que se equilibram e transitam na tênue linha do equilíbrio físico e emocional. Na união das técnicas acrobáticas, aéreas e de equilíbrio, aliados a um contexto teatral, mostra artistas que assumem diferentes perfis para dar vida aos estereótipos sociais e espelhar as deficiências visíveis e ainda invisíveis no cotidiano. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

-11H – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Circo sem Fronteiras – Cia Palhaços sem Fronteiras (São Paulo – SP)
O espetáculo é indicado para crianças de todas as idades, e traz à cena diversos números do repertório da companhia Palhaços Sem Fronteiras, e promete divertir o público com suas habilidades circenses e humor físico. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre



- 11H30 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Reprise – Cia La Minima (São Paulo – SP) - https://youtu.be/XOeQj_yGW70
Ao chegarem no local de sua apresentação, dois palhaços descobrem que foram contratados para o mesmo local, no mesmo horário, pela mesma pessoa. Depois de infrutíferas tentativas de provar um ao outro sua prioridade no picadeiro, decidem realizar este trabalho juntos. Mas no decorrer do show, percebem que juntos seus talentos se multiplicam e também é uma boa oportunidade de renovar seu repertório. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 11H40 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Tamara Portis

-12H – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Xinfrim – Cia Pé de Cana (Iracemápolis - SP)
Num roteiro rabiscado em papel de pão e com as bagagens repletas de lorotas, malabarismos, acrobacias e músicas, essa trupe circense que viajou os quatro cantos do Brasil vem contar as histórias que viveu e aprendeu. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 12H – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Isadora Faro

- 12H20 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Tamara Portis

- 12H30 – ESPAÇO BRENO MORONI – Espetáculo Trio Flamini – Valentin Flamini – (Argentina)
O Trio Flamini é chamado para sua próxima apresentação. A cortina se abre e o público aplaude. Mas apenas um aparece: Valentin Flamini. Na constante espera de seus companheiros, ele deve passar por uma série de dificuldades para sustentar o espetáculo.
Música, equilíbrios, manipulações excêntricas, danças e rituais demonstram sua maneira particular de ver o mundo. Duração: 40 minutos / Indicação: Livre

- 13H40 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Amanda Yamada 

- 14H – ESPAÇO TAPETE MÁGICO - Espetáculo Delgado e Funúncia Show – Trupe Quintal Circense (São José dos Campos – SP)
Delgado foi contratado para mostrar seus números virtuosos, sérios e geniais de malabarismo e equilibrismo. Enquanto espera para entrar em cena descobre que a sua assistente ficou doente e então decide encerrar o espetáculo. Funúncia, que veio de muito longe e está na plateia esperando pelo show, fica indignada e se voluntaria para ser sua nova assistente. Delgado aceita a nova voluntária, mas mal sabe ele que Funúncia é uma palhaça muito atrapalhada e pode acabar com todo seu espetáculo. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 14H – LONA IRMÃOS FRATELLI - Espetáculo Sarau do Centro de Memória do Circo – Diversos Artistas
O Sarau do Centro de Memória do Circo é um espetáculo circense de variedades. Artistas que atuam e frequentam o Centro de Memória do Circo apresentam um espetáculo de variedades circenses, com música ao vivo e participação do público, que traça um panorama da instituição e do próprio circo. Tem palhaços, equilibristas, malabaristas, dançarinas e música ao vivo. E sendo um sarau tem também a participação do público. Há também a distribuição de pipocas, amendoins e pirulitos produzidos por mestres do circo. Duração: 90 minutos / Indicação: Livre

- 14H – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Isadora Faro

- 14H30 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Cavaco e sua pulga – Cia Caravana Tapioca (São Paulo – SP) - https://vimeo.com/173723112
Transportando o público para o universo clássico e imaginário do circo de pulgas, o espetáculo apresenta Maria, a pulga adestrada que chega de paraquedas, canta, faz música com panelas, cospe fogo, doma uma fera, entre outras habilidades nunca antes vistas. Cavaco, o excêntrico domador, faz a costura dos números com música ao vivo, malabarismo, magia e comicidade. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 14H30 – ESPAÇO BRENO MORONI – Espetáculo Besouro Mutante - Grupo Namakaca (São Paulo - SP)
Dois vendedores charlatões rodam o mundo divulgando seu incrível produto, o Elixixir Besouro Mutante, uma bebida milagrosa capaz de resolver todos os males, físicos e psíquicos. Capaz de curar todas as mazelas que acometem a humanidade a séculos. Estes dois caixeiros viajantes contemporâneos usam suas habilidades circenses para convencer a plateia dos poderes de seu produto. Durante a demonstração tudo pode acontecer, até a transformação dos próprios espectadores, que descobrirão habilidades que nem imaginavam ter. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 14H35 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Hanna Hanna – Frupo Rué La Companhia (São Paulo - SP)
O Palhaço Zóim resolveu se aventurar nas Índias Místicas do Oriente onde encontrou o seu Guru Rhalhabundanua. Na volta, ele e seu parceiro Palhaço Tóin-Tóin demonstram para o público as novas habilidades místicas do Zóim. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

15H10 - ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Circo Do Céu Aberto - Palhaço Pichuruca - (São Paulo - SP)
"O Circo do Céu Aberto" é um espetáculo que mostra um Palhaço sem lona e que no seu universo o espetáculo não pode parar!! Então começa a convidar as pessoas a participarem do "O Circo do Céu Aberto". Com habilidade de alguém que conhece muito bem o Circo, o artista faz números de Magia, Monociclo, Rola Rola e Ventriloquia. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 15H40 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cama-Elástica - Felipe Oliveira, Roberto Salles, Celso José

- 15H50 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Amanda Yamada

- 15H55 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Soniquete – Sara Peper (Argentina)
A partir de uma composição poética, teatral e autoral, nasce uma proposta cômica, que tem como centro a relação da artista com uma caixa musical de madeira que servirá de base para acrobacias e contorções, malabares com claves, e diferentes elementos musicais como clarinete, guizos e sinos. Duração: 25 minutos / Indicação: Livre

- 16H – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número Acrobático - Felipe Oliveira, Roberto Salles, Celso José, Iago Richard, Marilia Mattos, Joy Domingoz

Calumpio / Foto Marco Arauco 

-16H20 – ESPAÇO BRENO MORONI – Espetáculo Columpio – Cia Circo Rebote (Peru) - https://youtu.be/xUOo77u2-fs
Em Columpio, dois personagens excêntricos, músicos, acrobatas e, sobretudo, palhaços, apresentam um fantástico show de variedades. Através da comicidade aliada à acrobacia, constroem cenas com muita energia, forte impacto visual e graça que culminam com o “ponto alto”, um arriscado número de trapézio em balanço. Duração: 40 minutos / Indicação: Livre

- 16H30 – LONA IRMÃOS FRATELLI - Espetáculo Happy Hour Show- Duo Looky (Israel) - https://youtu.be/4Q-GyJNXzzw
Um barman e uma garçonete com um bar móvel, sonhando com a fama no mundo do
Circo, misturam seus truques circenses com humor picante para ganhar a
admiração da plateia. O espetáculo é uma comédia acrobática que exibe truques de equilíbrio em garrafas com sapatilha de ponta e duas pessoas andando em um monociclo. Duração: 45 minutos / Indicação: Livre

- 16H30 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo The Eccentric Show - Guga Morales e Manu Montes (Rio De Janeiro - RJ)
Amor, genialidade e comicidade compõe o Espetáculo  ́ ́The Eccentric Show ́ ́, Um casal gentleman que fazem truques de equilíbrio, malabares e mágica relembrando os tempos vintage do circo. De modo incomum, e extravagante a dupla encontra harmonia entre objetos do nosso cotidiano para formar números de máximo equilíbrio. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 17H – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo Suspiros e Burbujas – Cia Laguz Circo  (Argentina/Ceará - Brasil) - https://youtu.be/HOOCtv22-vU
O espetáculo cria uma atmosfera mágica, um encontro espontâneo do público que se aproxima pelo encantamento do palhaço, das acrobacias, das bolhas de sabão  gigantes e da singela música feita pelo acordeón e escaleta, executados pelos palhaços Burjuja e Suspiro. A participação espontânea do público faz com que cada apresentação seja única e especial. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 17H05 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo A Louca das Frutas – Painé Santamaria (Argentina)
Esta personagem latina traz ritmos dançantes, frutas saborosas e o clima tropical com ela, nos apresenta suas habilidades promovendo uma verdadeira salada de frutas aos presentes. Malabarismo com limões, maças são caçadas com garfos e tem equilíbrio de abacaxis com facas. A Louca das Frutas traz um verdadeiro espetáculo com músicas que remetem ao paraíso frutal. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 17H20 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cama-Elástica - Felipe Oliveira, Felipe Gaby, Gabriel Marchini

- 17H40 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Estação Central – Cia Musicircus (São Paulo – SP)
Enquanto Rafé caminha rumo à estação para tomar o trem, sofre alguns imprevistos que o leva a mudar de planos. Para passar a angústia e o tempo, ele se distrai fazendo “manobras” improvisando com seus objetos de viagem, além de dançar com suas inquietudes corporais provocadas pela ansiedade.  Ao fazer malabarismo, pantomima e beat box, o artista acaba envolvendo outras pessoas da estação em seu universo interativo, musical e experimental, cheio de possibilidades e surpresas para toda a família. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 17H40 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Gota - Giuliana Soveral

- 17H50 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Lira - Marina Soveral

- 18H – LONA ABRACADABRA – Destaque Espetáculo Tributo à Tradição!– Diversos Artistas
Arte, cultura, cores, acrobacias, malabarismos e muita palhaçada invadem o picadeiro para homenagear artistas do Circo Tradicional no FIC 2019. Jovens artistas de rua se unem a artistas de famílias tradicionais circenses para fazer arte como antigamente, com muita música, melodrama, humor e números emocionantes. O público sairá da Lona lembrando do cheiro da serragem, tão presente na vida desses artistas que trazem no sangue a importância de sua tradição familiar. Duração: 60 minutos / Indicação: Livre

- 18H – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número Acrobático: Felipe Oliveira, Roberto Salles, Celso José, Iago Richard, Marilia Mattos, Joy Domingoz

- 18H15 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo A Motoqueira – Geisa Helena / Aline Hernandes - Trupe Koskowisck (Sorocaba - SP)
A palhaça Chiquita se transforme numa motoqueira e pela primeira vez, no festival, apresenta seu número de Globo da Morte! Além dela, a palhaça Rufina traz muitas habilidades e mistérios, nessa tarde divertida. Preparem seus corações, pois essa dupla pretende tirar muitas risadas nesse divertido varietè. Duração: minutos: 20 minutos / Indicação: Livre

- 18H20 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Tecido Gota - Giuliana Soveral

- 18H30 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Trapézio - Tamara Portis

- 18H40 - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Cama-Elástica - Felipe Oliveira, Felipe Gaby, Gabriel Marchini

- 18h50 - ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Malabarismo Consciente – MenDiva (São Roque - SP)
MenDiva é uma palhaça inspirada em moradoras de rua, quiçá uma bufa; acredita ser uma diva, mas tudo que ela possui são alguns sacos e sacolas, seu cantarolar e muita inventividade. Faz troca de roupa entrando em um grande saco de lixo, joga malabarismos com sacolas, e cria a partir delas adivinhações num trocadilho com o público, surgindo dessa interação situações inusitadas e divertidas. Duração: 20 minutos / Indicação: 12 anos

- 18H50 – ESPAÇO INTRÉPIDA – Número de Lira - Marina Soveral

- 19H - ESPAÇO INTRÉPIDA – Número Acrobático: Wallace Kioski, Felipe Gaby, Roberto Salles, Felipe Oliveira, Joy Domingoz

- 19H20 – ESPAÇO BRENO MORONI – H2O Boom – Mauro Cosenza (Uruguai) 
H2oboom é um espetáculo que mescla, água e explosões. Ele inicia em tom poético, com balões e mais balões aparecendo, compondo a cena e dando vida ao cenário. El Gran Enano, um excêntrico palhaço, utiliza suas habilidades e delírios para realizar com cada balão um estouro, onde bolas de ping-pong, engenhocas, mágica, água e muitas explosões acontecem de maneira crescente, rompendo a barreira entre artista e plateia gerando um jogo interativo conduzindo todos ao clímax do espetáculo, onde o palhaço se torna o alvo do Boom. Duração: 55 minutos / Indicação: Livre

- 19h25 – ESPAÇO TAPETE MÁGICO – Espetáculo Mais Uma Chance – Matias Danoso/Cia. Duna (Brasil e Chile)
A cada espetáculo há mais de uma chance de se conectar com a plateia, como num grande abraço. Mati, sozinho em cena, aproxima-se do público, sincronizando as vibrações, surgindo assim a energia do espetáculo e a magia do encontro. Tentativas, erros, improvisos e destrezas fazem parte de cada jornada. Duração: 20 minutos / Indicação: Livre

- 19H30 – LONA MANHAS E MANIAS - Espetáculo La Ceremonia – Tomi Soko (Argentina) - https://vimeo.com/273131194
O espetáculo é uma paródia quase surreal das situações que acontecem nas esferas de poder. Em cena, o personagem vive sua glória e sua decadência. Suas estruturas se consomem e vem em contra. Suas promessas são apenas palavras. A vertigem da ação vai levá-lo para o precipício, dando origem a um novo estado. Algo inesperado. Duração: 55 minutos / Indicação: 16 anos

- 19H30 – LONA IRMÃOS FRATELLI – Destaque - Espetáculo Obstáculos – Diversos Artistas
Impedimento e risco poderiam se tornar obstáculos para o artista, mas eles são combustíveis para se enfrentar os desafios que a vida e a arte propõe. Tornar possível aquilo que poderia ser impossível, subvertendo a lógica das coisas, é o espirito do circo e desta homenagem que o FIC preparou. Em cena, artistas com e sem deficiência apresentam no picadeiro cenas e números com humor, técnica e poesia, mostrando aos presentes. Essa integração faz com que cada artista utilize o máximo de seu talento e se supere continuamente, rompendo com todos os preconceitos. Duração: 60 minutos / Indicação: Livre. O espetáculo tem tradutor de Libras e Audiodescrição

- 20H – LONA ABRACADABRA – Destaque – Espetáculo Prot(agô)nistas - O Movimento Negro no Picadeiro – Diversos Artistas
O FIC 2019 abre sua lona para um espetáculo que traz como única bandeira, a Pele Negra. Enquanto uma sociedade ainda mantém a pele negra num lugar invisível, perigoso ou desclassificável por conta de um sistema estrutural, o circo não! O Circo sempre foi o espaço de pluralidade estética das pessoas e suas artes. O Movimento Negro vem ao Picadeiro para contemporizar  os pensamentos, protagonizar os seus e celebrar os nossos. A estaca da lona já está fincada.  Circenses, músicos e dançarinos negros trazem sua identidade e expressão artística para essa festa. Aquilombe-se. Duração: 60 minutos / Indicação: Livre


PROGRAMAÇÃO PALCO VOLANTE
DIA 05/04
- 10H e 14H – PALCO VOLANTE - Espetáculo Circo sem Fronteiras – Cia Palhaços sem Fronteiras (São Paulo – SP) - Rua Erva do Sereno 642
O espetáculo é indicado para crianças de todas as idades, e traz à cena diversos números do repertório da companhia Palhaços Sem Fronteiras, e promete divertir o público com suas habilidades circenses e humor físico. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 10H e 14H – PALCO VOLANTE - Espetáculo Xinfrim – Cia Pé de Cana (Iracemápolis - SP) - Av Alexandre Mackenzie, 950 – Jaguaré
Num roteiro rabiscado em papel de pão e com as bagagens repletas de lorotas, malabarismos, acrobacias e músicas, essa trupe circense que viajou os quatro cantos do Brasil vem contar as histórias que viveu e aprendeu. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

DIA 06/04
- 10H e 14H – PALCO VOLANTE - Espetáculo Circo sem Fronteiras – Cia Palhaços sem Fronteiras (São Paulo – SP) - Rua Dianópolis 4100- Vila Prudente
O espetáculo é indicado para crianças de todas as idades, e traz à cena diversos números do repertório da companhia Palhaços Sem Fronteiras, e promete divertir o público com suas habilidades circenses e humor físico. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre

- 10H e 14H – PALCO VOLANTE - Espetáculo Xinfrim – Cia Pé de Cana (Iracemápolis - SP) - Rua Capitão Francisco Teixeira Nogueira, 383
Num roteiro rabiscado em papel de pão e com as bagagens repletas de lorotas, malabarismos, acrobacias e músicas, essa trupe circense que viajou os quatro cantos do Brasil vem contar as histórias que viveu e aprendeu. Duração: 50 minutos / Indicação: Livre