EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Dia 7 de Agosto, Luiz-Ottavio Faria & Amigos Gala Lìrica Concert no Teatro Sérgio Cardoso

Luiz-Ottavio Faria & Amigos Gala Lírica Concert

‘Uma noite com Arias, Duetos, Trios e Quartetos’





Dia 7 de agosto, quarta-feira, às 20h, acontece o Luiz-Ottavio Faria & Amigos Gala Lírica Concert no Teatro Sérgio Cardoso. Ao piano e na direção musical, o maestro Anderson Brenner. São seis amigos do cantor: as sopranos Eliseth Gomes e Laryssa Alvarazi, a mezzo-soprano, Elaine Martorano, o tenor Richard Bauer,o barítono David Marcondes e o baixo Matheus França. Eles vão interpretar árias, duetos, trios de quartetos de Puccini, Verdi, Bellini, Cole Porter, Gershwin, Giordano, Nepomuceno, Rossini, Saint-Saëns, Boito, entre outros. Ingressos a R$ 20,00 e meia-entrada.


Luiz Ottavio Faria / Foto : Devon Cass


O baixo Luiz-Ottavio Faria é brasileiro, radicado nos Estados Unidos. Será uma rara oportunidade de ver interpretar tantas obras consagradas.

Programa:

Aria, (Pace, Pace mio Dio) La Forza del Destino - Giuseppe Verdi
(A estreia ocorreu no Teatro Bolshoi Kamenny de São Petersburgo, na Rússia, em 10 de novembro de 1862)
Soprano, Eliseth Gomes

Aria, (Tu, che di gel sei cinta) Turandot – Giacomo Puccini
(Estreou no Teatro alla Scala em Milão em 25 de abril de 1926, sob a regência de Arturo Toscanini)
Soprano, Laryssa Alvarazi

Aria, (Mon couer s’ouvre à ta voix) Sansão et Dalila - Camille Saint-Saëns
(Estreou a 2 de dezembro de 1877 no Hoftheater de Weimar, na Alemanha)
Mezzo-Soprano, Elaine Martorano.

Aria, (Aria di Improviso) Andrea Chenier – Umberto Giordano
(A primeira performance aconteceu no Teatro alla Scala em Milão no dia 28 de Março de 1896)
Tenor, Richard Bauer

Aria, (Largo al Factotum) Barbeiro de Sevilha – Gioachino Rossini
(A estreia da ópera, com o título de Almaviva, ou a inútil precaução, ocorreu no Teatro Argentina, em Roma, em 20 de fevereiro de 1816)
Barítono, David Marcondes

Aria, (Il Lacerato Spirito) Simon Boccanegra – Giuseppe Verdi
(Estreou no dia 12 de março de 1857 no Teatro La Fenice em Veneza)
Baixo, Matheus França

Aria, (Son Lo Spirito) – Mefistofele - Arrigo Boito
(A estreia de Mefistofele aconteceu em 5 de março de 1868 no Teatro alla Scala de Milão, sob a batuta do próprio Boito)
Participação do Tenor Richard Bauer com a ária Da Campi dai prati
Baixo, Luiz-Ottavio Faria

Aria, (Eri tu che macchiavi) – Um baile de Máscara – Giuseppe Verdi
Un Ballo in Maschera (Primeira apresentação, Roma, Teatro Apollo, 02/17/1859)
Barítono, David Marcondes

Dueto, (Mira, o Norma) Norma – Vicenzzo Bellini
(Primeira apresentação no Teatro alla Scala, de Milão, no dia 26 de dezembro de 1831)
Soprano, Laryssa Alvarazi & Mezzo-Soprano, Elaine Martorano

Aria, (Ella giammai m’ammo) Don Carlo – Giuseppe Verdi
(Recebeu a sua primeira representação no Théâtre de l'Opéra Impérial (Opéra Le Peletier) em 11 de março de 1867)
Baixo, Luiz-Ottavio Faria

Duetto, (Il Grand Inquisitor) Don Carlo – Giuseppe Verdi
(Recebeu a sua primeira representação no Théâtre de l'Opéra Impérial (Opéra Le Peletier) em 11 de março de 1867)
Baixo, Luiz-Ottavio Faria & Baixo, Matheus França

Quarteto, (Un di, se ben rammentomi...) Rigoletto – Giuseppe Verdi
(Estreou no teatro La Fenice de Veneza em 11 de março de 1851)
Laryssa Alvarazi, Elaine Martorano, Richard Bauer, David Marcondes, Matheus França

Canção, (Some Enchanted Evening) South Pacific - Richard Rodgers
Baixo, Matheus França

Canção - So in Love - Cole Porter
Mezzo-Soprano, Elaine Martorano

Canção (Old Man River) Show Boat, - Jerome Kern and Orcar Hammerstein II
Baixo, Luiz-Ottavio Faria

Dueto (Lippen Schweigen – “Labios Silenciosos”) – Viúva Alegre - Franz Lehár
Soprano, Elizeth Gomes
Tenor, Richard Bauer

Canção – (Coração Triste) – Nepomuceno
Soprano, Laryssa Alvarazi

Canção – (O Sole Mio) – Eduardo di Capua e Giovanni Capurro
Barítono, David Marcondes

Dueto – (Bess you is my woman now) – Porgy and Bess, Georg Gershwin
(Primeira apresentação no Teatro di Boston, E.U.A, September 30th, 1935)
Soprano, Eliseth Gomes e Baixo, Luiz-Ottavio Faria

Final da Ópera Porgy and Bess, Georg Gershwin
(Oh Lawd I’m on my way)
(Primeira apresentação no Teatro di Boston, E.U.A, September 30th, 1935)
Eliseth Gomes, Laryssa Alvarazi, Elaine Martorano, Richard Bauer, David Marcondes,
Luiz-Ottavio Faria e Matheus França

Ficha técnica:

Diretor Musical, Preparador e Pianista - Maestro Anderson Brenner
Maestro Colaborador e Organizador - Maestro Matheus França
Este programa foi realizado graças a Paulo Esper, Luiz-Ottavio Faria e Eduardo Paniza.
Assessoria de Imprensa: Bemelmans Comunicações

Serviço:
Dia 7 de Agosto, quarta-feira, às 20h
Luiz-Ottavio Faria & Amigos Gala Lírica Concert

Local: Teatro Sérgio Cardoso – Sala Sérgio Cardoso
Rua Rui Barbosa, 153
Bela Vista, SP 01326-010
Tel: (11) 3288-0136
Capacidade: 835 lugares
Ingressos: R$ 20,00 e meia-entrada
Bilheteria: terça a domingo, após 14h
Antecipados: www.ingressorápido.com.br (tel: 4003-1212)
Aceita todos os cartões
Classificação etária: Livre
Duração: 2h10
Acesso universal. Ar condicionado
Site: www.teatrosergiocardoso.org.br

Assessoria de imprensa
Miriam Bemelmans

miriam@bemelmans.com.br
(11) 3034-4997 e (11) 9 9969-0416
http://www.bemelmans.com.br/
https://www.facebook.com/bemelmanscomunica/


Miriam Bemelmans
(11) 3034-4997
(11) 9 9969-0416

Babalawô Ivanir dos Santos - recebe hoje - prêmio International Religious Freedom (IRF), em Washington




O Prof. Dr. Babalawô Ivanir dos Santos recebe amanhã o prêmio International Religious Freedom (IRF). O prêmio será entregue pelo State Department’s Office of International Religious Freedom, em Washington (USA). 

A agenda em Washington contará três dias do evento - terça e quarta-feira com foco na sociedade civil e quinta-feira para os governos.  

Em sua 1ª edição, o prêmio destacou 4 pessoas, selecionadas em todo o mundo. A principal missão do referido departamento é "monitorar as perseguições religiosas e a discriminação em todo o mundo,  com o intuito de implementar políticas nas respectivas regiões ou países e desenvolver programas para promover a liberdade religiosa", além de destacar ativistas que lutam incansavelmente pela causa, como é o caso de Ivanir dos Santos, que é interlocutor da CCIR - Comissão de Combate à Intolerância Religiosa. 

Fomentar a liberdade religiosa globalmente é um dos desafios do século 21 e uma prioridade da política externa norte-americana. O encarregado de Negócios da Embaixada e Consulados dos EUA no Brasil, William Popp, afirma que os Estados Unidos jamais serão espectadores de qualquer tipo de opressão. “Cada pessoa no mundo deve ser livre para acreditar ou deixar de acreditar naquilo que desejar. Seremos sempre incansáveis na busca pelo exercício da liberdade de religião ou crença, que é um valor fundamental para os EUA e um direito humano universal”, explica.   

Prof e Dr. pela UFRJ, Ivanir traz um legado de mais de 40 anos de muitas batalhas. Figura ímpar no cenário nacional, vem há anos no combate ao racismo e principalmente a luta contra à intolerância religiosa. Mas além de reivindicar, vem buscando diálogos com grupos de estudos e pesquisas em âmbitos internacionais, o professor Ivanir vem construindo e fomentando ações para o fortalecimento dos laços entre os intelectuais afro-brasileiros, afro-americanos e africanos. Além de destacar ativistas que lutam incansavelmente pelas liberdades, contra o racismo e em prol dos direitos humanos. 

Foi interno da Funabem, seguiu o caminho inverso das estatísticas, ao se tornar uma referência no Rio. De sacerdote (há 24 ano) à academia (desde 2015 - UFRJ), conta com um séquito de religiosos (diversos seguimentos), alunos e pessoas influentes. Sua tese, intitulada  "Marchar não é Caminhar: Interfaces Políticas e Sociais das Religiões de Matrizes Africanas no Rio de Janeiro contra os processos de Intolerância Religiosa (1950-2008)", busca fazer um análise histórica do desenvolvimento e crescimento da intolerância religiosa no Brasil, que é fomentada desde o período colonial até os dias atuais,  evidenciando e pontuando processos de resistências das religiões de matrizes africanas frente à intolerância religiosa e demonização de suas culturas e tradições, mostrando também e identificando os diversos momentos e que o Estado age de forma repressiva.

A pesquisa, que também apresenta um balanço social e político dessa ações repressoras, também faz um alerta sobre os riscos que corremos quando o Estado, que constitucionalmente é declarado laico, ajuda a promover ações anti-democráticas voltadas exclusivamente para um único grupo religioso em detrimento de outros. A pesquisa, é fruto dos das ações e pesquisas realizadas no combate à intolerância religiosa. Ações essas, que vem desenvolvendo à frente da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) – atuando como interlocutor, bem como na realização da Caminha em Defesa da Liberdade Religiosa, em 2017, onde se prepara para realizar a 12ª edição, que tem com meta, levar mais de 100 mil pessoas à Copacabana, juntas em prol do diálogo inter-religioso e da tolerância religiosa no país. 



Citando algumas prêmios nos últimos anos. Com suas ações, criou jurisprudência sobre a Lei nº. 7.716, que transformou o racismo em crime inafiançável e imprescritível. Por sua luta contra o racismo, a xenofobia e a intolerância, recebeu, em 1997, da Federação Israelita do Rio de Janeiro, o Prêmio Adolpho Bloch. Em dezembro de 1999, Dia Internacional dos Direitos Humanos, foi agraciado com o Prêmio Nacional de Direitos Humanos, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos do Ministério da Justiça, conferido por uma comissão da sociedade civil e membros do governo, entregue a Ivanir dos Santos pelo presidente da República. Recebeu Prêmio Direitos Humanos 2014 (em sua 20ª edição). Com mais esse prêmio, essa é a prova que ele tem voz e agora em nível internacional.

Ivanir será agraciado junto com 4 realizadores
Na data da entrega, recebem em tondo de 1000 convidados.
- Mohamed Yosaif Abdalrahan - Advogado sudanês de direitos humanos. Mohamed foi preso 2019, sem poder contacto com a sua família e advogado. Foi um dos principais membros da delegação da sociedade civil sudanesa que participou do conselho de direitos humanos das nações unidas em Genebra, em 2018. Coordena: A Iniciativa dos Direitos Humanos do Sudão (SHRI) - organização não-governamental sudanesa fundada por advogados sudaneses em 2008, em resposta a violações de direitos humanos cometidas pelo Estado. O SHRI foi estabelecido com o objetivo de defender os direitos do povo sudanês e de desenvolver as capacidades da sociedade civil sudanesa para fazer o mesmo. A SHRI tem agora mais de 500 membros, 50 voluntários dentro e fora do Sudão e três redes de advogados, defensores dos direitos humanos e jornalistas
- William Warda e Pascale Warda - de Bagdá - William é co-fundador da Organização de Direitos Humanos de Hamurabi (também conhecida como HHRO), fundada em 2005, é uma organização sem fins lucrativos localizada no Iraque. A organização se concentra nos direitos humanos em nível local e internacional. Também se concentra nos direitos de grupos minoritários dentro do Iraque, como Yezidis, Sabian, Mandaen, Turkoman, assírios, armênios e muito mais. Para aumentar a conscientização sobre as questões, a HHRO publica um relatório anual sobre a situação dos direitos humanos no Iraque. Analisa quais são as violações e quem são os violadores. Pascale Warda, Presidenta e diretora de relações públicas das organização Organização de Direitos Humanos de Hamurabi.
- Salpy Eskidjian Weiderud - A Trilha Religiosa do Processo de Paz de Chipre sob os auspícios da Embaixada da Suécia (RTCYPP) é uma iniciativa de construção da paz com os líderes religiosos de Chipre que estão comprometidos em trabalhar juntos pelos direitos humanos, paz e reconciliação. O Gabinete do RTCYPP, comsede no no Lar de Cooperação, foi criado em 2011 para incentivar, facilitar e servir o diálogo e os esforços dos líderes religiosos para a liberdade religiosa e a paz em Chipre e para contribuir de forma positiva e construtiva para as conversações de paz de Chipre. 



Rozangela Silva
Assessoria de Imprensa 

Celular/WhatsApp:21 99998 1802

terça-feira, 16 de julho de 2019

Inverno é tempo de ‘caldinhos’ no Peixaria Bar e Venda

WhatsApp Image 2019-07-01 at 12.16.34.jpeg

São Paulo – Inverno chegou e com ele a temporada de sopas e caldinhos para dar aquela aquecida no corpo. O Peixaria Bar e Venda, que fica na Vila Madalena, oferece  cinco opções de caldinhos que são saborosos e deixam aquele gostinho de “quero mais”: piranha, sururu (foto), feijão branco com frutos do mar e camarão. (R$ 28,00 cada)

O prato é servido da forma como os pescadores levam para o barco para se alimentar durante o trabalho, em garrafas térmicas com acompanhamentos e temperinhos para fazer a diferença.

O cardápio também oferece uma variedade de porções para compartilhar, como os pasteis com recheio de siri (oito unidades) e a linguiça de lagostim com gorgonzola, acompanhada de vinagrete de feijão-fradinho e farofa. Além disso, o cliente pode escolher o peixe que quer saborear e o prato é preparado na hora.


Sobre a Peixaria Bar e Venda

Um pedacinho da praia na Vila Madalena. O estilo que remete ao mar está em cada detalhe do Peixaria Bar e Venda: na decoração, com peças e imagens espalhadas, no cardápio, com muitos frutos do mar e peixes de todos os tipos, nos móveis rústicos de madeira ou cadeiras de praia, e as cervejas são servidas em um cooler de isopor.

A ideia do local foi a de trazer o clima praiano para a capital paulista. O local é decorado com xícaras de ágata, latas de conserva e até pacotes de biscoito para deixar tudo mais leve e divertido. Para sentar, cadeiras de praia e caias de isopor para deixar as bebidas frescas o tempo todo.

A loja de peixes e o bar convivem harmoniosamente e é um ambiente convidativo, com muitas opções de petiscos e pratos frescos. O cliente tem ainda a opção de escolher um dos peixes disponíveis para a compra para ser preparado na hora e, caso tenha alguma receita que não esteja no cardápio, pode solicitar ao pessoal da casa que será feito.

Serviço – Peixaria Bar e Venda – “um pouquinho da praia na Vila Madalena”

Endereço: Rua Inácio Pereira da Rocha, 112 - Vila Madalena
Telefone: (11) 2589-3963
Cartões: Todos (não aceitamos Ticket Restaurante, Sodexo, Ticket Alimentação)
Estacionamento: não tem valet (várias unidades particulares próximas)

Funcionamento
Terça a sábado das 12h à 01h
Domingo – 12h às 20h

Assessoria de Imprensa e Credenciamento:  Central de Comunicação
(11) 93236-4161 – imprensa.barsamba@gmail.com

Atendimento à Imprensa
Camila Alexandre – (11) 97326-9170                                                                                      
Cris Molina – (11) 97970-8822