EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Festa de reinauguração do Bar Samba na Vila Madalena durou 12 horas

A chamada “reinaugurasamba” atraiu grande público para celebrar os 15 anos de criação do bar, que está em novo endereço. No palco se apresentaram bambas como Moacyr Luz, Nelson Rufino e Fundo de Quintal. A festa teve como “embaixadores” o ator Ailton Graça e a jornalista Claudinha Alexandre. O sambista mineiro, Toninho Geraes não resistiu, subiu ao palco e surpreendeu o público
Por: Claudia Alexandre, Silvana Inácio e Cris Molina // Fotos: Claudio Lira, Camila Alexandre e Léo Vitulli
Cícero Cunha com Ailton Graça, Moacyr Luz, Claudinha Alexandre e Zé Renato . Fundo de Quintal foi esperado pelo público 2.jpg
                                      
O sábado, 2 de fevereiro,  foi dia de grande festa para um dos redutos mais tradicionais do samba de São Paulo: o bar Samba.  Como prometido, a festa de comemoração durou exatamente 12 horas. Pelo novo endereço, agora na rua Fradique Coutinho, número 1.007, no boêmio bairro da Vila Madalena, passaram mais de 500 pessoas, que se revezaram durante a tarde quente paulistana para apreciar os batuques do grupo Sambabar, formado por músicos paulistanos e cariocas, com os convidados Moacyr Luz, Nelson Rufino e o Fundo de Quintal. Esbanjando simpatia, se juntaram aos bambas, o ator Ailton Graça e a jornalista Claudia Alexandre, que foram convidados para serem os “embaixadores”, do maior evento da história do bar. “Isso tudo aqui não é meu, é de vocês e é para o samba que é a minha vida”, disse emocionado Cícero Cunha, o anfitrião.
 Foi com esse nome sugestivo, que  Cícero batizou há 15 anos o lugar que mistura o ambiente de boteco com um dos maiores acervos de samba da cidade. São mais de 1.000 fotos, objetos (fantasias, adereços, instrumentos musicais e pavilhões de escolas de samba...), um painel gigante de caricaturas que eternizam a história do samba e de personalidades surgidas principalmente nas principais agremiações carnavalescas do eixo Rio-São Paulo. Tudo pensado e projetado pelo próprio dono.
 Para completar a decoração, parte das paredes ganhou revestimento tipo “lambe-lambe”, com frases de letras de samba e fotos ampliadas de sambistas como Dona Ivone Lara, Clementina de Jesus, João Nogueira, Almir Guineto e Luiz Carlos da Vila.
O Bar Samba realmente está maior, mas o proprietário não quer transformá-lo em uma casa de shows, ele quer manter o mesmo “climão”, sem perder as características de ser um local que valorize e respeite o samba. Agora além de melhorar a acessibilidade, a casa ganhou mezanino com camarote e uma área de convivência, que em breve será ocupada por uma lojinha para venda de itens que vão de livros sobre o gênero, souvenirs a instrumentos musicais.  “Aqui tudo é pensado para dar ao sambista o que ele merece, com um bom ambiente, música de qualidade e comida boa, para receber gente que faz a nossa história”, disse Cícero que há mais de 10 anos, também é um dos ritmistas da bateria da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel.
A festa - Como prometido, a festa começou às 13 horas em ponto.  Quando as portas foram abertas já havia muita gente aguardando para conhecer o novo endereço do bar. Os convidados foram recepcionados com a famosa feijoada, servida todos os sábados, das 13 às 19 horas, ao som do Grupo Sambabar.
Os embaixadores Ailton Graça e Claudia Alexandre fizeram a abertura oficial às 18 horas, antes de anunciar o show de Moacyr Luz, a primeira atração a subir no pequeno palco. Eles saudaram o público e explicaram que o dia 2 de fevereiro não foi escolhido à toa. “Hoje é Dia de Iemanjá, a deusa das águas salgadas, divindade protetora dos pescadores. Iemanjá é também a protetora do Bar Samba, porque nesta data, em 2004, os sócios devotos da rainha do mar iniciaram essa  história”, disseram.
O ator Ailton Graça e a jornalista Claudinha Alexandre esbanjaram simpatia e foram atrações à parte da festa. “Me sinto muito honrado por vocês estarem aqui, pois pra mim são os que representam a voz do samba, disso tudo que a gente quer falar”, disse Cícero ao se referir ao ator e sambista que atualmente interpreta o padre Ramiro na novela “O Sétimo Guardião” e à  jornalista e radialista Claudinha, que apresenta o programa Papo de Bamba e está no ar pela BR Brazil Show, uma plataforma digital, com aplicativo, voltada  para o samba.
Moacyr Luz, que é padrinho do Bar Samba, além de presentear o público com canções conhecidas, que já foram gravadas por grandes nomes como Zeca Pagodinho, Bethânia, Martinho da Vila e Beth Carvalho, também convidou para o palco o seu amigo e compositor Zé Renato. O compositor e intérprete Nelson Rufino, compositor de sucessos gravados por Zeca Pagodinho e Roberto Ribeiro, entre outros, chegou  trazendo o “axé” de Salvador e foi muito aplaudido quando anunciou e entregou o palco para a presença surpresa, do cantor e compositor Toninho Geraes. que fez questão de subir e parabenizar os amigos pela grande festa. O público não perdeu a animação e encerrou cantando e aplaudindo o Grupo Fundo de Quintal, que apesar da ausência de Bira Presidente, por motivos de saúde, fechou com chave de ouro a festa dos 15 anos do Bar Samba, na Vila Madalena, que agora em novo endereço vai continuar uma grande história.

Serviço
Bar Samba
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1.007 – Vila Madalena.  
Funcionamento: Quarta-feira, quinta-feira e sexta-feira das 19h à 01h
Sábado- 13h às 19h (Feijoada com Grupo Sambabar) e 21h às 03h (Samba Ao Vivo)
Acessibilidade: Rampa, elevador e banheiros  Capacidade: 250 pessoas  
Cartões: Todos (não aceitamos Ticket Restaurante, Sodexo, Ticket Alimentação)
Entrada: quarta e quinta - R$ 20,00; sexta e sábado - R$ 35,00. 
Estacionamento: não tem valet.
Informações: (11) 3819-4619 
Televendas e Reservas de mesas: (11) 95341-0198

Nenhum comentário:

Postar um comentário