Flores Astrais - Um Tributo aos 50 anos do Secos & Molhados no Teatro Rival (22/06)

 Premiado ‘Flores Astrais’, melhor tributo a Secos & Molhados, em única apresentação na Cinelândia neste sábado

50 anos de ousadia sem envelhecer, é o que mostra o tributo, sucesso de crítica e público, que estará no Teatro Rival Petrobras no próximo sábado dia 22 de junho

 

 

 

O premiado espetáculo Flores Astrais – Um Tributo aos 50 anos dos Secos & Molhados, que celebra e reconstitui com ousadia os primeiros shows do icônico grupo Secos & Molhados, lançou Ney Matogrosso e foi imortalizado por inúmeros sucessos, como Sangue latino, Rosa de Hiroshima, O vira, Flores Astrais entre outros, estará no tradicional palco do Teatro Rival Petrobras, em única apresentação, no sábado dia 22 de junho, às 19h30. Secos & Molhados também revolucionou pela força de suas canções, pelos seus figurinos ousados, pelas maquiagens criativas e pela movimentação gestual cênica, que colocou não só a MPB, como a cena pop brasileira dos anos 70 de cabeça pra baixo, em plena ditadura militar. O show tributo passou pelos principais teatros do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte e recebeu o “Prêmio Funarj Música Ao Vivo 2023”, também foi selecionado no “Viva o Talento 2023” e entre os primeiros colocados no “Prêmio Rio do Rock da Funarj 2023”.

 

Há exatos 50 anos, o país foi sacudido por um furacão performático, que de forma absolutamente criativa e inédita, fez um sucesso inimaginável na época e chancelou um lugar na história da música e nos corações dos jovens daquele tempo e das gerações posteriores, onde o mix de poesia, folclore, Beatles e Rock progressivo dos Secos & Molhados reverbera ainda hoje. O lendário álbum dos Secos & Molhados (1973) em que os integrantes da banda aparecem na capa com suas cabeças servidas como banquete, acabou de entrar na capa da Revista Rolling Stones Brasil, edição Colecionador de Junho de 2023, e está na lista entre os melhores que completaram 50 anos no ano de 2023.

 

O álbum foi o mais vendido daquele ano de 73 e bateu todos os recordes naquele ano, em que Ney Matogrosso e seus companheiros dos Secos & Molhados literalmente rebolaram na cara da ditadura militar e mesmo sem apoio da mídia lotaram os teatros por onde passaram. O sucesso se repetiu com o segundo álbum lançado em 1974.

 

No espetáculo, um grupo de experientes músicos – Danilo Fiani (voz), Luiz Lopez (voz, piano,  escaleta, violão de 12 cordas), Mario Vitor (voz, guitarra, violão de nylon e gaita), Odeid (contrabaixo) e Rike Frainer (bateria, ganzá duplo e castanholas) – homenageia Ney Matogrosso, João Ricardo e Gerson Conrad, e resgata um repertório fantástico, respeitando os arranjos, as sonoridades e a ambientação originais. O que parecia impossível e apenas um sonho até para músicos experientes tornou-se o Flores Astrais: Um Tributo aos Secos & Molhados. Um trabalho meticuloso que exigiu muita dedicação e pesquisa para tentar reproduzir uma das mais preciosas e populares pérolas da MPB, formando um caldeirão para de novo emocionar um país inteiro – 50 anos depois.

 

“Flores Astrais – Um Tributo aos 50 anos dos Secos & Molhados” se espelha na arte do Desbunde, na qual Ney Matogrosso e banda eram expoentes, tão representativa na transgressão e massificação da cultura nacional, que renovou o cenário artístico, transformou de certa forma significativa o que a Tropicália almejou, dentro de um período delicado da história nacional. Secos & Molhados traziam um teor de liberdade onde não havia. Caracterizavam-se na busca de novos valores e novas formas de expressão, transgrediam os valores ditos formais da sociedade pautados direta ou indiretamente pelos princípios da contracultura.

 

O espetáculo, com direção artística, cenografia e iluminação de Djalma Amaral, com produção executiva da Portal Produções, prima pela qualidade musical e traz ao público toda a efervescência e irreverência dos Secos & Molhados e por intermédio de uma seleção de 21 músicas, resgata um repertório revolucionário, poético e absolutamente atemporal.

 

João Ricardo, fundador, integrante e maior compositor dos Secos & Molhados, acompanha o projeto desde o seu início e assistiu ao espetáculo no Blue Note São Paulo (2024),  ficou nitidamente emocionado e chancelou o espetáculo como “...o melhor tributo aos Secos & Molhados... Músicos primorosos e excelentes artistas”, e pessoalmente, no palco, em poucas palavras resumiu, que sua obra: “Floresceu!”.

 

SERVIÇO:

 

Flores Astrais – Um Tributo aos 50 Anos dos Secos & Molhados

Local: Teatro Rival Petrobras

Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia – próximo ao metrô Cinelândia

Data: Sábado, 22 de junho, às 19h30

Classificação livre (menores somente acompanhados dos responsáveis)

Ingressos: R$ 120; R$60 (meia); R$80 (Cartão GiroMetrô, Agente MAM, doação de 1kg alimento)

Venda: Sympla e bilheteria do teatro

 

 

FICHA TÉCNICA

Músicos:

Danilo Fiani: voz

Luiz Lopez: voz, piano, escaleta e violão de 12 cordas

Mario Vitor: voz, guitarra, violão de nylon e gaita

Rike Frainer: bateria, ganzá duplo e castanholas

Odeid: contrabaixo (músico contratado)

 

Djalma Amaral: direção artística, iluminação e cenografia

João Vicente: técnico de som

Frank Moreira: assistente de palco/roadie

Arlete Rua: confecção de adereços

Suely Mesquita: preparação corporal

Thaís Monteiro: fotografia

Jornal Portal: assessoria de imprensa

Signus Design: designer gráfico

Portal Produções: produção geral

 

INSTAGRAM  |  TEASER DO SHOWSuper obrigado e bjs no ❤

 

Comentários