EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

segunda-feira, 20 de maio de 2019

O Pequeno Príncipe Preto | Sesc Belenzinho | 25/05

O Pequeno Príncipe Preto estreia no Sesc Belenzinho;
peça trata d
a valorização da cultura negra, retratando a diversidade dos povos
Uma imagem contendo interior, parede

Descrição gerada automaticamente
Figura 1 - Em cena, os músicos João Vinicius Barbosa, Lurian Moura e o ator Junior Dantas, que integra a Cia. Omondé há 9 anos
O espetáculo tem percussão de tambores, lundu (ritmos brasileiros), Kuduro (ritmo angolano), jazz e soul (ritmos afro- americanos), e faz a seguinte reflexão (dentre outras): Por que a maioria dos livros infantis só tem heróis e príncipes brancos e de olhos claros?

O espetáculo, que circulou por 18 cidades do Sudeste, Norte e Nordeste do País, já foi assistido por mais de 40 mil espectadores em 100 apresentações.

Teatro Infantojuvenil – O Pequeno Príncipe Preto estreia temporada em São Paulo, no Sesc Belenzinho, dia 25 de maio de 2019, com apresentações aos sábados e domingos, até 16 de junho. Com texto e direção de Rodrigo França, especialista em filosofia para crianças e pesquisas relacionadas à cultura negra, a peça tem em cena o ator Junior Dantas, os músicos Reinaldo Junior, Lurian Moura e João Vinícius Barbosa, que também assina a direção musical e arranjos para as músicas originais que compôs. A iluminação é de Ana Luzia Mollinari de Simoni e João Gioia, o cenário é de Mina Quental.

O espetáculo conta a história de um príncipe que percorre vários planetas com a missão de plantar as sementes da empatia, amor, respeito, coletividade, generosidade e aprendizado familiar. Com diferentes linguagens, o infanto-juvenil exalta a valorização da cultura negra e retrata o quanto é bonita a diversidade de cada povo. 
O projeto surge de perguntas que ainda ecoam: Por que a maioria dos livros infantis só tem heróis e príncipes brancos e de olhos claros? Por que as bonecas e bonecos têm características físicas que não se assemelham com a maioria da população brasileira? Por que nas canções e contos infantis o branco é belo e puro e o preto não? As respostas para essas perguntas visam contribuir com o empoderamento, com a autoestima e com o imaginário formativo de crianças e adolescentes negros apresentando personagens de destaque que se assemelhem a eles e façam com que se sintam representados nas histórias que tem acesso.



A cultura afro-brasileira e africana sempre foi lembrada, exclusivamente, com a temática escravidão no Brasil, a encenação tem uma narrativa que ressignifica muitos fatos históricos. O espetáculo é quase todo embalado por percussão de tambores, somado com lundu (ritmos brasileiros), Kuduro (ritmo angolano) e jazz e soul (ritmos afro- americanos), com uma trilha musical feita especialmente para o espetáculo. A nossa brasilidade múltipla está em cena, através do respeito à diversidade de cores, características, sabores, texturas, sonoridades e sotaques.


Rodrigo França (ator, autor e diretor)  / Foto : Globo 

Rodrigo França
Desde 1992 nos palcos, participou da Cia de Antonio Pedro Borges atuando em 14 montagens, entre elas: Madame Satã, A Saga da Farinha, Macbeth, Electra, Os Bárbaros e os Nobres e Rei de Copas. Dirigiu: Ose Mimo, Inimigo Oculto, Último Trago, Palavra de Mulher e Doce Canção. Atuou nos espetáculos: Contos Negreiros do Brasil, dir. Fernando Philbert; Jacinta e Orfeu da Conceição com dir. de Aderbal Freire-Filho; Gota D’Água, dir. João Fonseca; Cauby! Cauby!, dir. Flávio Marinho e Diogo Vilela; Otelo da Mangueira, dir. Daniel Hertz; A Canção Brasileira, dir. Paulo Betti; Cacilda Becker, dir. José Celso Martinez Corrêa; As Mil Frases de Nelson Rodrigues, dir. Antônio Abujamra.

Junior Dantas
Ator e jornalista, é potiguar, natural de Ipueira (RN). Integrante da cia. OMONDÉ, no Rio de Janeiro, fez “As Conchambranças de Quaderna” de Ariano Suassuna, “Os Mamutes” e “Infância, Tiros e Plumas”, de Jô Bilac, “Nem Mesmo Todo o Oceano”, de Alcione Araújo e “Os Inadequados” que tem texto coletivo. Todos com direção de Inez Viana. Atuou nos curtas: “Chiaroscuro” (Dir. Anna Israel), “Loucura” (Dir. Elias Hatab), “Urano” (Dir. Daniel Nolasco) e “Conectados” (Dir. Tiago Apolinário).

SINOPSE
O espetáculo infantojuvenil ‘O Pequeno Príncipe Preto’ conta a história de um príncipe que percorre diferentes planetas em uma jornada de entendimento sobre a importância da valorização da sua cultura e descobre o quanto é bonita a diversidade de cada povo. Em suas viagens, tem como objetivo espalhar as sementes da Baobá, árvore milenar do seu planeta, que lhe ensinou o conceito de UBUNTU: eu sou porque nós somos. Em cada planeta que passa, o príncipe transmite o UBUNTU à personagens que encontra, evidenciando a importância dessas sementes também para outros povos.

FICHA TÉCNICA
Texto e Direção: Rodrigo França
Atuação: Junior Dantas
Direção Musical, Músicas e Arranjos: João Vinícius Barbosa
Diretora Assistente: Mery Delmond
Cenografia: Mina Quental
Iluminação: Ana Luzia Molinari de Simoni e João Gioia
Figurino: Lucas Pocian
Interface Crítica: Sol Miranda
Programação Visual e Animações: Juliana Barbosa
Direção de Movimento: Kennedy Lima
Consultoria de Dança Africana: Valéria Monã
Preparação Vocal: 
Adrén 
Alvez e João GomesMúsicos - Trilha Sonora:João Vinícius Barbosa - Violão
Lúrian Moura – Violoncelo
Reinaldo Junior
Leo Carvalho (substituto)
Fotografia, Edição e Gestão de Mídias Sociais: Rodrigo Menezes
Documentação: Bia Medeiros
Assistentes de Cenografia: Larissa Pinto e Matheus Ribeiro
Produção: Pé de Vento Produções
Assistente de Produção: João Paulo Rodrigues
Direção de Produção: Douglas Resende
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto
SERVIÇO
O PEQUENO PRÍNCIPE PRETO
De 25 de maio a 16 de junho de 2019
Sábados e domingos, 12h
Local: Teatro (364 lugares).
Ingressos: R$ 20,00 (inteira); 10,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante) e R$ 6,00 (credencial plena do Sesc - trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes. Gratuito para crianças até 12 anos, com retirada de ingresso.
Ingressos à venda nas bilheterias das unidades do Sesc a partir de 15 de maio, às 17h30
Recomendação etária: Livre | Duração: 50 minutos

Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000.
Belenzinho – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2076-9700

Bilheteria
De terça a sábado, das 9h às 21h30. Domingos e feriados, das 9h às 19h30
Forma de Pagamento (Venda Presencial): Dinheiro, Débito, Crédito (à vista) e Voucher Cultura
Bandeiras de Cartões Débito e Crédito: Mastercard, Diners, Visa, Aura, Cabal, Elo, Hipercard, Maestro, Redeshop, Visa Electron
Bandeiras Vouchers Cultura: Alelo, Sodexo, VR, Ticket

Estacionamento
De terça a sábado, das 9h às 22h. Domingos e feriados, das 9h às 20h.
Valores: Credenciados plenos do Sesc: R$ 5,50 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional. Não credenciados no Sesc: R$ 12,00 a primeira hora e R$ 3,00 por hora adicional.
Para espetáculos pagos, após as 17h: R$ 7,50 (Credencial Plena do Sesc - trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo). R$ 15,00 (não matriculado).
Transporte Público
Metro Belém (550m) | Estação Tatuapé (1400m)

Assessoria de Imprensa Sesc Belenzinho
Poliana M. Queiroz | Marcelo Júnior | Silchya Rodrigues
(11) 2076-9762 | 2076-9763

Nenhum comentário:

Postar um comentário